5 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Mate a vaca, ela tem carrapatos

A dependência de fertilizantes escancarada pela guerra entre Rússia e Ucrânia revela uma coisa óbvia: Nenhum povo é independente em tudo. Alguns livros contam que Japão e China viviam em guerra, porém os japoneses não podiam abrir mão da seda chinesa que não adquiriam diretamente, mas por atravessadores que, segundo estes livros, por volta do século 16 eram até portugueses. Os produtos são consumidos no mundo, não importa muito sua origem. O Brasil pode ser um dos maiores produtores de grãos do mundo, mas depende do trigo de fora para o pão de cada dia.

O fato de termos potássio disponível em enormes quantidades na Amazônia e importarmos da Bielo Rússia, Ucrânia, Rússia e Canadá, nos faz analisar melhor o trecho do hino nacional que diz: “deitado eternamente em berço esplêndido”. Será que precisamos deixar tudo eternamente reservado e não utilizar, em nome de não se sabe exatamente o que?  A nossa história lamenta a exploração do nosso ouro, que antigamente era enviado quase todo para Portugal. Hoje acontece o inverso se fizermos a comparação com os fertilizantes.

Há 25 anos estive em Silves e Itapiranga, lá havia uma campanha aberta para evitar a exploração do gás natural que por aquelas bandas é abundante. A campanha era orquestrada pela ong WWF, sabe-se lá com que intenções. Não seria o mesmo gás que alimenta máquinas e tem múltiplas aplicações e do qual se pode extrair a ureia? 

A exploração do petróleo e do gás no município de Coari traz royalties volumosos ao município. Infelizmente vimos grassar por lá um índice de corrupção maior que em outros municípios do Amazonas. A corrupção do Amazonas, ainda não sentiu a onda moralista que está, contra tudo e contra todos, querendo se instalar no Brasil. Por causa dessa corrupção, que um dia vai ser punida, vamos desativar os poços de petróleo? Ou vamos tentar usar esses royalties em favor da população? Vamos seguir o exemplo do STF que prefere acabar com um aplicativo em vez de punir quem supostamente o usa para fins escusos? 

A vaca que nos dá o leite e nos beneficia com tudo que se possa extrair desse produto é suscetível a multiplicar carrapatos em seu corpo. Carrapatos são sanguessugas tão poderosos quanto os corruptos. Eles se instalam onde há sangue para alimentá-los. Contudo, uma campanha séria de controle destes parasitas já está resultando, senão na eliminação total, na redução de seus malefícios a níveis toleráveis. Ninguém pensa eliminar a vaca, mas, sensatamente, os parasitas que são atraídos involuntariamente por ela.

A corrupção que o dinheiro traz, venha ele do petróleo ou tenha origem nas verbas da saúde, precisa ser combatido sistematicamente. Se surgirem novos focos de corrupção –e eles surgem, fatalmente –devem ser localizados e extirpados. Isso deveria ser motivo de união entre os três poderes da república em todos os âmbitos, o que muitas vezes parece não acontecer. Não se pense que corrupção seja coisa de necessitado, apenas. Os maiores esquemas são montados por pessoas que não tem nenhuma necessidade financeira de roubar.

Toda atividade pode ser benéfica, sendo ela pouco ou muito lucrativa. Jamais se deve combater a atividade, mas prevenir e punir a corrupção que aquele que nela trabalhe, queira instituir. A vaca é muito útil, o carrapato, não.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email