Marta Suplicy propõe recursos de R$ 100 mi para turismo na região

A Amazônia é estratégica para o desenvolvimento do turismo no Brasil, e o Ministério do Turismo pretende concentrar esforços de investimento em infra-estrutura na região. Por isso, a ministra Marta Suplicy sugeriu aos parlamentares da Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional que elevem para R$ 100 milhões, em 2008, os investimentos no setor para os nove Estados que compõem a Amazônia Legal –Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. “O turismo é um fator estratégico para a diminuição das diferenças regionais”, afirmou.
Marta Suplicy observou que também seria possível elevar os investimentos em turismo na região, por meio de parcerias com outros ministérios. A ministra disse que, a partir de setembro e até o fim deste ano, pretende liberar os R$ 26 milhões já previstos pela comissão para aplicação na região.
Em audiência conjunta das comissões da Amazônia com a de Turismo e Desporto, realizada na última quarta-feira (22), na Câmara dos Deputados, a ministra entregou o detalhamento de investimentos do PAC em infra-estrutura na região amazônica, para análise dos parlamentares.
“Falar do turismo na Amazônia, para mim, é falar de um dos maiores atrativos que o Brasil possui para fazer o setor dar um salto de desenvolvimento em termos nacionais. Todo brasileiro quer conhecer e também é uma âncora para atrair os turistas estrangeiros”, afirmou a ministra.
Marta Suplicy explicou que a região foi escolhida como um dos destinos do programa do governo Viaja Mais – Melhor Idade, que será lançado para possibilitar a viagem de aposentados e pensionistas nos períodos de baixa ocupação.
O fortalecimento do mercado interno é a principal meta do Plano Nacional de Turismo 2007-2010 – Uma Viagem de Inclusão, e que isso deve ser feito por meio de planejamento, investimento e políticas de proteção e preservação, que garantam a sustentabilidade do setor. “Nossos recursos naturais, em especial a Amazônia, são o nosso ouro, o futuro do turismo. E se não forem protegidos não teremos turismo”, afirmou a ministra, que pediu aos parlamentares para pensarem em ações “estruturantes” para o setor.
Outro ponto discutido foi a necessidade de mudanças na malha aérea para o desenvolvimento do turismo na região: “Vamos defender no Conselho Nacional de Aviação Civil que a Amazônia tenha portões de entrada para os vôos internacionais”. A ministra defendeu ainda a criação de linhas que permitam aos brasileiros chegar com mais facilidade à Amazônia, além de pelo menos mais uma linha internacional partindo da região.
Dentre as possibilidades de parcerias com ministérios, Marta afirmou que pode trabalhar por mais estradas, saneamento e investimentos em portos fluviais e aeroportos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email