Mantega acena com acordo para aprovar

O ministro Guido Mantega (Fazenda) acenou com a possibilidade de o governo fechar um acordo para permitir a aprovação da prorrogação da CPMF (imposto do cheque) no Congresso. Segundo ele, não adianta ter uma CPMF com uma taxa “elevada”, mas que não seja de aprovação viável.
Ontem ele reuniu com líderes da base aliada e o relator do assunto, deputado Antonio Palocci (PT-SP): “Os parlamentares têm a sensibilidade política. Ao Ministério da Fazenda cabe zelar pelos recursos públicos. Vamos dialogar e ouvir os pontos de vistas dentro de uma estratégia para aprovação”, disse Guido: “Minha propensão é por manter os 0,38%”.
Mantega disse ser um equívoco pensar que o governo dispõe de uma folga na receita de R$ 20 bilhões que permita abrir mão de parte da arrecadação da CPMF: “Mandamos um projeto de Orçamento contando com os 0,38%. Se tiver de tirar algo da arrecadação, será preciso tirar algo das despesas”. A equipe econômica e Palocci preferem negociar a redução da contribuição patronal à Previdência a promover uma redução gradual da contribuição.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email