Mais de 80% do Estado busca capacitação

Para evitar que pequenos empresários e empresas fechem as portas enquanto buscam capacitação e orientação empresarial, o Sebrae lançou em 2009, o Programa Negócio a Negócio, uma abordagem diferenciada que leva consultoria diretamente ao ambiente empresarial. Em 2010 o programa chegou ao Amazonas e desde então, atendeu a mais de 49 municípios (80% do total do Estado). Em seu primeiro ano, 10 mil empresas foram atendidas. No ano seguinte, atípico para o programa, em um semestre foram assistidas 5 mil. O número elevou-se em 2012 (8 mil) e 2013 (7 mil). Ou seja, mais de 30 mil empresas já foram atendidas em 4 anos de execução do Programa no Amazonas. Para o ano corrente a expectativa é de assistir 3.500 empresas.
Este ano o Negócio a Negócio inicia em 28 de fevereiro e o Sebrae-Am já está preparado para a procura, como explica Gisele Pinto, coordenadora do programa no Estado “o ‘Negócio a Negócio vem para suprir demandas que serão geradas com novos formalizados, um número sempre crescente. Na quinta-feira (13) a Prefeitura de Manaus credenciou os ambulantes e o Sebrae estará presente, apoiando as ações que tragam novos empreendedores.”
Para a coordenadora uma nova visão dos EIs (Empreendedores Individuais) e o modelo de atendimento customizado, elimina barreiras como a falta de tempo do pequeno empresário “o estilo porta a porta tem sido bem recebido e a adesão é significativa. O sucesso é atribuído ao serviço gratuito, atendimento personalizado, presencial e continuado (as empresas são visitadas três vezes no mínimo). A gratuidade tem sido uma das maiores causas da procura, mas a nova educação financeira também figura como fator determinante,” conta.

Agentes de Orientação Empresarial

Sugerir soluções de modo inovador é uma das metas do programa. As visitas são feitas pelos AOEs (Agentes de Orientação Empresarial), selecionados e capacitados pelo Sebrae para diagnosticar e propor soluções, conta o superintendente do Sebrae-Am Nelson Rocha “temos uma metodologia diferenciada para empreendedorismo, baseado no ‘sei’, sei comprar, sei vender, sei planejar. O objetivo é atingir empresas já firmadas que ainda não experimentaram a formalização.”
A experiência que beneficia os pequenos empresários, também é válida para os AOEs “além de laboratório de consultoria para os agentes, o mais importante é que emprega, alguns egressos do programa passam a ser consultores do Sebrae,” ressalta o superintendente. Atualmente 20 AOEs estão em campo e o Sebrae-Am conta com mais 20 na reserva para o caso de aumento na demanda.” Para o superintendente a meta do programa é identificar os EIs “buscamos o cliente para gerar um melhor relacionamento e quebrar barreiras.”
Entre as barreiras que são quebradas pelo programa, está a resistência de empresa familiar tradicional “a empresa familiar também está mais aberta a consultoria, pois o pequeno empresário as vezes faz de comprador, caixa, atendente e motorista, deixando de lado aspectos que possam melhorar a gestão da empresa, aí entram os AOEs,” disse o superintendente.
O assunto Copa do Mundo também é lembrado pelo superintendente “Manaus é uma das cidades-sede do mundial e não podemos dar de costas para isso, o Sebrae-Am tem vários cursos e treinamentos para quem quer ser um empreendedor pontual, aquele que aproveita as oportunidades e não se encaixa na categoria EI. Para esses, várias ferramentas estarão a disposição,” conta Rocha.
Reconhecimento e casos de sucesso
O programa é celebrado e tem cinco AOEs reconhecidos nacionalmente, apesar das dificuldades típicas da região (deslocamento, logística, etc.), conta Rocha “atitudes novas e inovadoras têm suas dificuldades. Como em todo projeto temos críticas e resistência, mas quando vejo que de 30 mil inscritos no programa, 28 mil prosseguiram e foram beneficiados, vemos que estamos no caminho certo, atingimos o alvo. É difícil mas devemos estar presentes no dia a dia,” fecha o superintendente.
Um caso de empresa bem sucedida após o atendimento do Programa é o da empresária Mariana Ferreira da Silva, da cidade de Manacapuru. A empresária, proprietária da ‘Confecção Dona Mari’, percebeu que sem planejamento sua empresa tinha mais prejuízo que lucro e foi procurada pelo AOE Fábio Nunes (um dos destaques nacionais do programa) que a orientou a fazer um pró-labore, não misturando as despesas pessoais com as da empresa, evitando que a mesma fechasse as portas.

Como participar?

O primeiro contato do empreendedor com o Sebrae pode ocorrer por uma abordagem direta do agente que busca de forma ativa as empresas a serem atendidas. Outra forma de participar para a empresa ou MEI que deseje receber orientação em gestão é procurar o Sebrae e solicitar atendimento no programa Negócio a Negócio. Em Manaus o atendimento é feito na avenida Leonardo Malcher, 924 – Centro, Manaus – AM, 69010-170 ou pelo telefone 0800 570 0800 (grátis).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email