Mais de 46% não sabem o que comprar no Dia dos Namorados

De acordo com a pesquisa da Fecomércio/AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas), dos 400 entrevistados, 46,2% ainda não se decidiram pelo que comprar na data

Por Juliana Geraldo

Cresce o número de indecisos quanto ao que comprar no Dia dos Namorados. De acordo com a pesquisa da Fecomércio/AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas), dos 400 entrevistados, 46,2% ainda não se decidiram pelo que comprar na data. O número é 11,2% maior do que o obtido na mesma pesquisa no ano passado.
Segundo o presidente em exercício da Federação, Aderson Frota, é natural que muitos consumidores ainda não saibam o que comprar. Para ele, a antecedência com que a pesquisa foi feita –na metade de maio– explica o alto índice de indecisão. “Metade das decisões de compra e o consequente aumento das vendas ocorre principalmente nos dois dias que antecedem a comemoração”, destacou.
Outra explicação, de acordo com a gerente de marketing do Millennium Shopping, Karla Henderson, foi que no ano passado a data coincidiu com a Copa do Mundo. “As pessoas já estavam frequentando as lojas mais cedo para procurar produtos como TV’s de plasma e aproveitavam para se decidir quanto ao presente do companheiro. Esse ano, o movimento só deve crescer visivelmente a partir de amanhã”, explicou.
Para ajudar os consumidores a decidir, Karla conta que os lojistas estão investindo em kits e na decoração de vitrines, cada um procurando chamar atenção para seu produto.
A boa notícia para os empresários do varejo é que, mesmo indecisos, o percentual de consumidores com intenção de compras para a data cresceu. As respostas afirmativas totalizaram 68,3% contra os 51,5% do ano passado.
Os presentes também custarão um pouco mais. Conforme a pesquisa, 37,7% dos entrevistados pretendem gastar entre R$ 201,00 e R$ 300,00, o que representa uma média de gasto de R$ 203,00. Apenas 11,0% declararam que irão optar pelas lembrançinhas, gastando no máximo R$ 50,00 e 1,5% estão dispostos a gastar mais de R$ 1.000.
“Esse valor é uma estimativa de uma pesquisa feita por amostragem. Embora os presentes possam ser mais caros, a tendência é que o valor das compras seja um pouco menor do que o apontado”, esclareceu Aderson Frota.

Centro é preferência para compras

Uma mudança apresentada em relação à pesquisas anteriores foi a preferência dos consumidores pelo Centro da cidade para fazer suas compras (67%). Os shoppings caíram para a terceira posição (16,2%), ficando atrás inclusive do comércio de bairro (16,8%). “Acredito que o que faz o consumidor decidir pelo local de compra é o deslocamento”, justificou a gerente do Millennium. Para ela, o centro comercial tem, sim, o forte apelo dos preços baixos e muitas opções de lojas ao redor para atrair o consumidor, o que estimularia a compra por impulso.
“Mas, o Dia dos Namorados não preenche esse perfil de compra por impulso. Geralmente é um presente bem pensado. Além do mais, as pessoas que optam pelo shopping são aquelas que só têm tempo de comprar após às 18h. Por isso, apostamos no horário de funcionamento, além da climatização, conforto e segurança”, defendeu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email