Lula desafia opositores a trabalhar mais que ele

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última quinta, disse ter certeza de que “muita gente não vai conseguir” derrotá-lo nas eleições de outubro porque seus adversários terão que trabalhar muito mais do que ele para executar ações que estão em curso no governo federal.
Ao discursar na Conferência Nacional de Educação para cerca de 3000 pessoas, Lula disse aos educadores que “alguém vai continuar dando sequência” às políticas de educação no país -numa referência indireta à pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff.
“Eu ainda tenho nove meses de trabalho. Vou trabalhar que nem um desgraçado. Quem quiser me vencer terá que trabalhar mais do que eu, fazer mais do que nós fizemos. Tenho certeza que muita gente não vai conseguir. (…) O povo está mais decidido. Trabalhem, aprovem o que puderem aprovar de melhor, porque alguém vai continuar dando sequência ao que vocês fizeram”, afirmou.
Com críticas à oposição, Lula disse que ao lado do vice-presidente José Alencar foi o único presidente brasileiro a não ter diploma universitário -enquanto outros antigos presidentes tinham formação educacional superior.
“Ao deixar o meu mandato, serei o presidente que mais fez universidade nesse país e que mais investiu na educação desse país. Não falo isso com orgulho de quem fez, mas com tristeza daqueles que antes de mim não fizeram, pedindo a Deus que aqueles que vierem me coloquem no chinelo e façam dez vezes mais do que eu fiz”, afirmou.
Em mais um recado para a oposição, o presidente disse que os professores nos últimos 30 anos tiveram a “profissão judiada, sucateada, e muitas vezes mal tratada”. Lula afirmou que, ao terminar o seu mandato em dezembro, vai “quebrar a cara” quem pensar que ele será apenas ex-presidente.
“A minha luta não era apenas para ganhar a Presidência. Nós precisamos construir muito mais coisas nesse país. Quando a gente está nadando, quando a gente começa a cansar, a gente, ao invés de ir até o final, tenta voltar apavorado, muitas vezes sem se dar conta de que a volta é mais difícil do que a ida. Nós estamos no meio do rio. E nós não temos o direito de morrermos afogados.”
O presidente disse que está “apenas no começo de uma caminhada”, uma vez que “falta muito” para o governo implementar no Brasil. “Já fizemos muito, mas falta muito”, afirmou.
Depois de ler um discurso de pouco mais de quinze minutos, Lula falou de improviso aos educadores. O presidente deixou a mesa principal do evento e, à vontade, chegou na frente do palco para se aproximar da plateia -que declarou apoio a Dilma. “O povo decidiu. Agora é a Dilma presidente do Brasil.”
Antes de falar de improviso, Lula disse que leria o seu discurso para não ser novamente multado pela Justiça Eleitoral. “Hoje eu vou ler o meu discurso. Hoje eu vou ler porque estou sendo multado todo dia, e daqui a pouco eu vou ter que trabalhar o resto da vida para pagar multa. Eu vou me conter aqui, depois vou dar um improvisozinho rápido para falar para vocês”, disse.
No final de março, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu multar o presidente em R$ 10 mil por propaganda eleitoral antecipada. A propaganda teria ocorrido em janeiro deste ano na inauguração do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados de São Paulo.
Foi a segunda multa que o presidente recebeu por propaganda antecipada. Também em março, o ministro do TSE Joelson Dias determinou a aplicação de multa de R$ 5.000 ao presidente Lula por propaganda eleitoral antecipada na inauguração de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de Manguinhos e Complexo do Alemão, no Rio, em maio do ano passado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email