Luiz Castro pede revisão nas metas do ensino do tempo integral do PEE

Para Luiz Castro, pela meta de crescimento de 2%, depois corrigida para 20%, que consta do Plano, o Governo Eduardo Braga não consegue colocar todas as escolas de Manaus e algumas do interior funcionando em tempo integral até o final de seu mandato.

O deputado Luiz Castro (PPS) pediu ontem da tribuna, que o Governo do Estado, por intermédio da Seduc (Secretaria de Estado da Educação) faça correção no PEE (Plano Estadual de Educação), aprovado pela Assembléia Legislativa do Estado, no que diz respeito às metas do ensino de tempo integral. “Não estou chamando o governador (Eduardo Braga) e o secretário Gedeão Amorim de mentirosos. Estou dizendo que o Plano tem um erro”, disse o parlamentar.
Segundo Castro, a meta de implantação do ensino de tempo integral tem que ser corrigida. “Se não corrigir a meta de ensino de tempo integral para daqui a seis anos (2.014), o governador pode estar faltando com a verdade quando diz que todas as escolas da capital e algumas do interior estarão funcionando em tempo integral”, disse.
Para Luiz Castro, pela meta de crescimento de 2%, depois corrigida para 20%, que consta do Plano, o Governo Eduardo Braga não consegue colocar todas as escolas de Manaus e algumas do interior funcionando em tempo integral até o final de seu mandato. “Como gosto de pensar, raciocinar, acho que há algo errado que precisa ser corrigido”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email