Lojistas consideram movimento fraco no primeiro dia de retomada

Após o decreto estadual, no primeiro dia de retomada de parte do comércio não essencial, a partir desta segunda-feira (1), a área central da cidade e os centros comerciais tiveram um movimento retraído. Apesar da grande aglomeração nas avenidas da capital, o fluxo dentro das lojas foi abaixo do esperado. 

Enquadrados no primeiro ciclo, lojistas de alguns estabelecimentos reiteram que a retomada traz um alento, especialmente porque muitos colaboradores estavam com medo de serem dispensados, caso o setor se mantivesse fechado. 

A lojista Roberta Dias, 21, conta que o  movimento está dentro do esperado, considerando a chuva que caiu na região, além do receio que muitas pessoas estão enfrentando para sair do isolamento. 

“Essa reabertura é uma esperança de equilíbrio para os varejistas. Apesar do fluxo ainda ser pequeno, entendemos que este é o primeiro dia. Vamos precisar de um tempo para os clientes voltarem ao consumo”, disse ela, lembrando que o comércio está funcionando em horário diferenciado das 9h às 17h. 

Para o vendedor João Silva, 19, muita gente circulou desnecessariamente na área. Aproveitaram a reabertura porque não tinham nada para fazer. “Há muito movimento nas nas ruas, mas a grande maioria, são pessoas que estão à toa. Cansaram de ficar em casa e resolveram se deslocar para o Centro. Mas em relação ao fluxo de clientes dentro das lojas está baixo. Mas dentro do normal para o primeiro dia”, comentou.

Saldo positivo

Ao avaliar o primeiro dia de retomada das atividades, a Tropical Multiloja, comemora o movimento em uma segunda-feira chuvosa e considerando o primeiro dia de retomada das atividades  reabertura,  a Tropical MultiLoja comemora os índices de vendas e diz que o balanço foi positivo. 

“Na verdade, a gente não tinha uma uma estimativa (em números) em relação a reabertura. Mas apostamos num bom movimento. Os clientes estão com a demanda reprimida e aproveitam este momento em que o comércio está de portas abertas para locomover-se até o Centro. Com isso,  acabamos absorvendo boa parte dessas pessoas”, destacou a gerente de marketing da Tropical Multiloja, Susan Soares.

Para garantir o funcionamento os lojistas precisam obedecer as determinações definidas  pelo governo. Conforme os lojistas, os estabelecimentos estão mantendo o controle de acesso, além disso, placas de orientação estão fixadas nas entradas das lojas, acompanhamento do uso de máscaras e o uso do álcool em gel na entrada .

Sinal verde

Depois de dois meses de portas fechadas, os shoppings da capital, também tiveram sinal verde para a retomada, embora o movimento baixo, é difícil mensurar se está acima do esperado ou não. Quem avalia é o presidente da Alasc (Associação dos Lojistas dos Lojistas do Amazonas Shopping Center), André Gesta. 

“O que podemos afirmar é que neste momento, só vai ao shopping que pretende comprar. Não observei muita gente passeando. Mesmo porque a praça de alimentação ainda está sem serviço. E como este primeiro ciclo tem muitas operações não retomaram, é natural que o fluxo não esteja dentro do esperado”. 

O empresário Wil Souza, dono de uma loja de confecÇão no shopping, define o momento com duas duas palavras: “Prudência com procedimentos de saúde e otimismo para geração de novos negócios. A chave para enfrentar isso é ser paciente e ter um bom planejamento”.. 

Ele diz que espera um regresso um novo comportamento do consumidor paliativamente. O empresário declarou que abriu a loja e mantém o otimismo. Dado que o setor vinha numa crescente e foram surpreendidos com um cenário ruim para todo mundo.

“Nós esperamos que esse processo seja gradativo com fluxo de compras naturalmente… Muita gente ficou sem trabalho. Nós vamos sentir o público nas próximas semanas.  É um comportamento novo e paliativo. Vamos ter uma crescente, mas natural. Obviamente, o setor abrindo, novos postos de trabalho vão ser gerados”.

Nos últimos dois meses, ele afirma que acumulou perdas de 100% no faturamento. E que o caminho é tentar equilibrar as contas e dividir os prejuízos. “O otimismo é maior e abrir as portas é um recomeço. Vamos retomar e tentar sanar as perdas”.

Ciclos

A reabertura gradativa do comércio de atividades foi anunciado pelo governo do Amazonas na quarta-feira (27). A retomada vai acontecer por ciclos: Nesta segunda (1)  entrou em vigor as seguintes atividades. 

•    Igrejas e templos (30% de ocupação, com eventos de 01 hora de duração e intervalo de, no mínimo, 05 horas entre um vento e outro)

•    Lojas de artigos esportivos e bicicletas (venda e reparo) 

•    Lojas de artigos para casa 

• Lojas de vestuário, acessórios e calçados 

• Lojas de móveis e colchões 

• Atendimento presencial, médico e odontológico, sujeito a agendamento prévio 

• Joalherias e relojoarias 

• Comércio de artigos médicos e ortopédicos 

• Serviços de publicidade e afins 

• Petshops 

• Lojas de variedades 

• Agências de turismo 

• Concessionárias e revendas de veículos em geral 

• Óticas

• Floriculturas

• Bancas de revista em logradouros públicos

Fonte: Andreia Leite

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email