Logística aponta para recuperação

No primeiro semestre deste ano o Teca (Terminal de Logística de Cargas) do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes registrou crescimento de 31% na movimentação de cargas, entre importação e exportação. De janeiro a junho, foram contabilizados o volume de 15.4 mil toneladas contra 11.7 mil (t) transportadas em mercadorias no mesmo período do ano anterior, representando um aumento de 3,6 mil toneladas na comparação semestral. O percentual positivo foi impulsionado pelas importações, com o saldo de 14 mil toneladas de produtos destinados principalmente, à indústria amazonense. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), com o bom desempenho nos primeiros seis meses de 2017, a expectativa é de crescimento em torno de 40% na movimentação de cargas no segundo semestre.

De acordo com o superintendente do aeroporto de Manaus, Abibe Ferreira Júnior, alguns fatores foram essenciais para o aumento de 31% no primeiro semestre deste ano. Com o resultado, o Teca manauara registrou o maior aumento bruto na tonelagem de cargas movimentadas em um complexo logístico administrado pela Infraero. ” Eu considero três pontos importantes que contribuíram para esse crescimento tão significativo: qualidade e rapidez no atendimento, fidelização dos clientes de grandes empresas que atuam na ZFM (Zona Franca de Manaus) e a melhora da economia brasileira que reflete na importação e exportação do país.Tudo isso tem atraído novos negócios e bons resultados ao Teca de Manaus”, afirmou.

Segundo o superintendente, durante o primeiro semestre foram realizadas 65 visitas de aproximação a clientes potenciais e 18 novas fidelizações para o complexo logístico manauara. Outro indicador positivo para o terminal da capital amazonense foi responder por 26% do volume processado em toda a Rede Teca no semestre. Em 2016, o terminal movimentou, entre cargas de importação e exportação, mais de 26,3 mil toneladas, respondendo por 25% do total de participação.

Conforme a Infraero, o movimento de mercadorias importadas teve crescimento de 32,4% nos primeiros seis meses de 2017 frente ao volume de 10,5 mil toneladas de produtos desembarcados na capital em 2016. No total de janeiro a junho deste ano foram movimentadas 14 mil toneladas. Entre os principais itens fornecidos ao Estado durante o período estão: componentes eletroeletrônicos, produtos farmacêuticos, partes e peças de motocicletas, metais e artigos de decoração. “Atualmente somos o maior terminal de carga do país e seguramente o mais moderno da América Latina com equipamentos de ponta, o que demonstra esta facilidade em oferecer uma fidelização com atendimento de excelência”, comentou Abibe.

O fluxo de produtos exportados também apresentou alta ao processar 1,5 mil toneladas de janeiro a junho deste ano, um aumento de 21% em relação às 1,1 mil t registradas no mesmo período do ano anterior. Segundo a Infraero, os principais itens comercializados foram o envio de máquinas das empresas (ativo) para conserto ou transferência de filiais, e a movimentação de produtos específicos de maquinário e mineração, com destaque para exportadores como RobertShaw Soluções de Control, Procter & Gamble do Brasil S/A, Mineração Taboca S/A – Produtos de Mineração e Cal-Comp Indústria e Comércio.

Com o bom desempenho do terminal manauara nos primeiros seis meses de 2017 a expectativa, segundo Abibe, é de crescer ainda mais no segundo semestre. “Historicamente o movimento de mercadorias aumenta nos seis últimos meses do ano e temos uma projeção que chegue perto de 40% até o fim do ano. Os números já estão mostrando a mudança no cenário econômico e eles enfatizam também o compromisso da nossa equipe em conduzir os esforços necessários para essa mudança”, finalizou o superintendente do aeroporto de Manaus.

Estratégia comercial
Com intuito de expandir o portfólio de serviços e produtos de logística integrada oferecidos e ampliando a parceria com a iniciativa privada nos negócios, a Infraero adotou em 2017 um novo posicionamento estratégico e de mercado na area logistica de cargas. Segundo a empresa, os processos licitatórios de diversos Tecas são um passo importante dessas novas diretrizes. A Infraireo informou ainda que, o edital de licitação para as operações do complexo no Teca manaura está previsto para lançamento neste semestre. Além de Manaus, outros cinco terminais terão contratos que preveem prazo de concessão de dez anos, sem investimentos vinculados por parte das empresas concessionárias. Os valores somam R$ 2,95 milhões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email