Locadoras de Manaus temem falta de veículos

Depois das concessionárias em Manaus estarem vivendo escassez na oferta de novos veículos, a dificuldade para comprar também preocupa as locadoras. De acordo com a (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) no Amazonas), o aumento da vida útil das frotas e estratégias de gestão são as opções para manter o equilíbrio financeiro do setor.

O diretor da Associação no Amazonas, Sidney Reche Galdeano Filho, comenta que apesar da valorização dos veículos seminovos no mercado amazonense, atualmente o grande desafio das 277 locadoras que atuam no estado é a reposição de suas frotas com veículos novos.

“As empresas do nosso setor enfrentam, neste momento, uma enorme dificuldade para a compra de veículos zero quilômetro”, diz Galdeano. “Primeiro, por causa das paralisações nas montadoras diante das medidas de isolamento social e, mais recentemente, devido à crise mundial da falta de semicondutores essenciais para produção”.

Ele acrescenta que a situação do mercado para a compra de veículos é “absolutamente crítica” para as locadoras, principalmente para aquelas que não anteciparam os seus pedidos junto às montadoras.

É o que preocupa o empresário do segmento, Yuri Sampaio, que diz que a falta de estoques tem afetado a entrega de carros às locadoras. “Os pedidos que antes chegavam em até 45 dias temos que esperar até 120. Quem não se planejou para evitar toda essa situação sentirá o impacto ainda maior”. 

Com a falta de automóveis para entrega imediata, Galdeano lembra que o setor de locação também já deixou de contar com descontos das montadoras, “o que acaba pressionando as tarifas de aluguel de carros”, diz ele. “Nossa previsão é que o mercado automotivo só será normalizado no segundo semestre de 2022”.

Até lá, para contornar a crise, a alternativa tem sido esticar a vida útil das frotas e adaptar uma nova rotina operacional dentro das locadoras. “Estamos recomendando com ainda mais ênfase a adoção de boas práticas de gestão, no sentido de minimizar o impacto da dificuldade de comprar carros”, completa Galdeano.

O presidente do Conselho Nacional da Abla, Paulo Miguel Jr, relembra que a frota total das empresas de locação terminou o mês de abril com 1.004.000 veículos, ante 1.007.000 no final do ano passado. O presidente esclarece que este é um reflexo da dificuldade para a ampliação da frota das locadoras. “A projeção inicial da Abla era de que o setor compraria 450 mil automóveis e comerciais leves até o final de 2021”, diz Paulo Miguel Jr.

Porém, com a reduzida velocidade da produção e os entraves enfrentados pela indústria automotiva, o presidente da associação adianta que a previsão foi revista para compras de até 400 mil unidades, “ainda assim acima do total de 360 mil adquiridas no ano passado”, completa Miguel Jr.

Entraves contornados

O proprietário da locadora Lemans, Cacildo Júnior, concorda que a dificuldade está associada ao encerramento das atividades de algumas fábricas em razão da falta de insumos e mão de obra. “Isso afeta diretamente o setor.  As renovações de frota ficam mais lentas”.

Em outra ótica, assim como também está faltando carro para a pessoa física, Cacildo menciona que isso melhora o setor “O cliente aluga conosco até a chegada do carro adquirido por ele na concessionária. Ainda mais que a expectativa é que a normalidade na produção deva demorar um pouco mais”.

O empresário do setor ressalta que a falta de produção e a retração na oferta, aumenta os valores dos veículos, “e isto impacta diretamente na renovação da frota e no aumento da depreciação. Por outro lado, abre a oportunidade de atendermos os compradores que também estão esperando seus veículos serem produzidos  e entregues”. 

Além disso, as dificuldades de aquisição, o alto custo de depreciação e a necessidade das empresas de fazerem investimento no seu próprio segmento abriu a oportunidade para as locadoras substituírem as frotas próprias pelas locadas.

Números

Conforme o Anuário Brasileiro do Setor de Locação de Veículos, com dados do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), as 277 empresas de locação de veículos que atuam no Amazonas possuíam, ao final de 2020, uma frota total de 7.555 veículos. Essas empresas são responsáveis pela manutenção de 1.280 empregos diretos em todo o estado.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email