Livro relata excursão de pesquisadores de minérios na Amazônia

Há muito se sabe que a Amazônia é uma região riquíssima de minérios preciosos, porém, ONGs internacionais, financiadas por países poderosos, impedem das mais diversas formas que essas riquezas sejam exploradas exatamente para que o Brasil não saia da condição de dependência econômica externa, por isso vale a pena ler o livro ‘O mapa, a mina e os sonhos’, do professor Cristóvam Luiz, que acaba de ser lançado pela Amazon (e-book) e será lançado no formato impresso em 1º de outubro, em local a ser divulgado previamente.

No livro, o autor faz um impressionante relato de uma excursão realizada por um grupo de pesquisadores de minérios, envolvendo o fascínio, o mistério e os perigos da selva, numa saga de personagens aventureiros nativos e amantes desvairados, desenvolvendo a trama numa região inóspita e mágica.

O livro é indicado para qualquer leitor que queira conhecer melhor a Amazônia – Foto: Divulgação

“É o resultado de um trabalho ancorado nas memórias de vários anos de valorização e desempenho em atividades culturais como professor de ensino médio e empreendedor do setor de mineração da região. Considero como um legado de prosas e provas vividas em várias frentes de trabalhos e lutas, com elos fortes na ficção e nos sonhos de conquistas, na exuberância, na beleza e nas riquezas da selva amazônica”, declarou.

Em toda a narrativa do livro, o autor revela o mapa de uma região muito rica em geodiversidade e belezas naturais, denuncia interesses escusos de organizações que exploram indígenas e mistificam as questões ambientais da Amazônia, além de apontar o desperdício de riquezas minerais extremamente importantes para as indústrias de transformação de todo o planeta.

Leis esdrúxulas

“Trata-se de um desabafo contundente e um alerta profundo sobre a farsa defendida por pseudo ambientalistas que nos querem ditar normas e programas para a Amazônia sem sequer conhecê-la, beneficiando assim a usurpadores e criminosos que extraem minérios na ilegalidade e se aproveitando da desorganização da gestão pública”, disse.

O livro revela, inclusive, o mapa de uma região riquíssima de minérios, que são desperdiçados pelas chuvas e rios que banham a floresta, cujos minerais deveriam servir para a indústria de transformação em todo o planeta gerando emprego, renda, tributos e riqueza para uma região que, em pleno século 21, ainda vive os piores IDHs (Índices de Desenvolvimento Humano), embora se tenha as alternativas para o grande impulso ao desenvolvimento regional.

‘O mapa, a mina e os sonhos’ mostra trabalhos de pesquisa em mineração com grandes expectativas em torno de se encontrar minérios nobres como ouro, ou pedras preciosas como diamantes e rubis, além de outros resultados promissores com minerais mais simples, como o nióbio ou mesmo os granitos, que possuem uma enorme variedade de aplicações e necessidades nas indústrias de transformação.

Cristóvam alerta que as tecnologias existentes atualmente, como o sensoriamento remoto, o controle de satélites e os projetos sustentáveis, mostram os caminhos para se desenvolver políticas públicas sérias.

“Mas ainda há um emaranhado de leis esdrúxulas que precisam ser adequadas, como é o caso da mineração em terras indígenas. Há um cabo de guerra acontecendo no Congresso Nacional onde, de um lado um grupo de ONGs, que sempre viveu do aporte de recursos públicos, ou verbas internacionais, no intuito de ‘engessar’ as riquezas minerais da Amazônia, manobra indígenas nesse raciocínio piegas e tolo de se manterem intocados dentro de suas reservas”, afirmou.

“Por outro lado há um grande movimento de profissionais do setor de mineração que anseiam e lutam pela desmistificação dessa trama, com inúmeras manifestações de verdadeiros líderes indígenas da região, cansados de ser explorados, mostrando que não querem mais o convívio no dia a dia com os morcegos nos tetos das suas malocas e as pulgas que infestam seu habitat”, completou.

Deitado eternamente

‘O mapa, a mina e os sonhos’ é indicado para qualquer leitor que queira conhecer melhor a Amazônia. Em seus textos, Cristóvam valoriza as questões do desenvolvimento regional, aponta soluções breves para programas de governos, indica soluções equilibradas para a melhoria do IDH regional e nacional e faz uma verdadeira viagem transcendental nas belezas naturais e nos pontos turísticos de aventura da Amazônia.

“O Brasil não pode mais ficar cantando o refrão ‘deitado eternamente em berço esplêndido’. Os brasileiros precisam valorizar seu país, suas riquezas e, de fato, usufruir, pelo viés da sustentabilidade, dos amplos recursos representados na nossa bandeira nacional”, finalizou.                  

‘O mapa, a mina e os sonhos’ está sendo lançado em português e em inglês, com opções de leitura no formato impresso (paperback) ou digital (e-book). Em edição inglesa, o livro leva o título de ‘The map, the mine and dreams – a little adventure in Amazon’.

Versão em inglês – Foto: Divulgação

Para adquiri-lo, em português: https://www.amazon.com/dp/B09BZ86KF7; e em inglês: https://www.amazon.com/dp/B09BSW359V

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email