Live em defesa do Museu Amazônico

Quem está gostando das lives que, de uma hora para outra, se tornaram as estrelas da quarentena, hoje à tarde, às 14h, terá mais uma, ‘Te conto no Museu’, com Carolina Brandão e Katty Nunes, ideal para quem gosta de histórias e literatura.

“O projeto de contação de histórias ‘Te conto no Museu Amazônico’ teve início em 2019, quando eu lancei o desafio à Katty Nunes, bibliotecária, formada pela Ufam e ex-estagiária do Museu. Nós duas pensamos o projeto, cujo nome foi sugerido pela Katty, que é quem realiza as seções de mediação de leitura”, explicou a pedagoga Carolina Brandão, diretora da Divisão de Difusão Cultural do Museu Amazônico.

“Antes da pandemia, o projeto aconteceria em 2020 uma vez ao mês, com o apoio da biblioteca do Museu, Em 5 de novembro passado houve um pré-lançamento, ocasião em que se pode perceber o entusiasmo dos leitores participantes”, lembrou.

De acordo com o projeto, a contação de histórias é uma expressão cultural aberta, onde diferentes idades podem estar juntas no momento da narração. O contador ajusta a linguagem ao público apresente.

“A ideia é não fazer distinção de público. Em principio crianças, jovens e adultos podem participar”, falou Carolina.

Outro objetivo do projeto é estabelecer um diálogo sensível com o público que vai ao Museu, a partir da literatura e do uso da biblioteca, como espaço de produção de conhecimento.

“Pretende-se tornar esse Museu universitário em um espaço dinâmico que extrapole os muros da Universidade e se abra às demandas sociais por acesso à arte e à ciência, para o desenvolvimento de um pensamento poderoso em torno da solidariedade humana”, disse.

Mensagem de esperança

Na pré-estreia do ‘Te conto no Museu Amazônico’, no final do ano passado, estiveram presentes no Museu vários jovens, a maioria adolescentes, alunos da Escola Estadual Frei Silva demonstrando bastante interesse e entusiasmo pela atividade.

“Não é possível afirmar que viraram leitores, mas certamente foram tocados pelo universo mágico da literatura e na ida ao Museu”, garantiu.

Apesar de o projeto ‘Te conto no Museu Amazônico’ ter sido pensado por duas pessoas, com objetivos muito semelhantes, cada uma tem também suas próprias expectativas para os resultados de suas iniciativas.

“Para a Divisão de Difusão Cultural do Museu Amazônico, essas iniciativas devem provocar emoções, promover a valorização da cultura, do saber científico, ajudar o visitante a criar laços afetivos com o Museu e com a Ufam”, esclareceu.

Carolina Brandão Gonçalves é pedagoga, doutora em Tecnologia na Educação pela Universidade do Minho, mestra em Comunicação Social pela Ufam, professora da UEA (Universidade do Estado do Amazonas) onde leciona nos cursos de pedagogia, artes, e tecnologia. Trabalha no Museu Amazônico há onze anos.

Katty Anne Nunes é graduada em biblioteconomia pela UFAM, servidora pública e idealizadora do ‘Kuau Experiências Formativas’, onde promove atividades relacionadas à biblioterapia, desenvolvimento pessoal e atividades culturais.

“Na live de hoje à tarde pretendemos transmitir uma mensagem de esperança ao público que nos assistir e dar continuidade a contação de histórias nesse formato online, contribuindo para o movimento ‘Fica em Casa’, a fim de colaborar com todos que estão se esforçando para vencer a covid-19 e preservar a vida”, finalizou.

A live poderá ser vista, às 14h, no @museuamazonico.

E quando acabar a quarentena, uma visita ao Museu Amazônico vai bem. Ele fica localizado na rua Ramos Ferreira, 1036 – Centro, fone: 3305-1181. Pertence à Ufam e reúne excelente material histórico sobre a Amazônia tanto exposto em suas salas, quanto na biblioteca.

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email