Linha de R$ 4 bi para microempresas

O Bradesco anunciou nova linha de crédito de longo prazo para PMEs (pequenas e médias empresas), na qual espera liberar cerca de R$ 4 bilhões neste ano, conforme nota do banco. O objetivo do crédito é, segundo a instituição, atender às necessidades das empresas que desejam expandir seus negócios, como a ampliação ou reforma de instalações, aquisição de equipamentos novos ou usados, e até mesmo para a compra de terrenos e aquisição de outra empresa.
A linha de longo prazo para PMEs foi criada, conforme o diretor executivo do Bradesco, Altair de Souza, a partir de uma demanda dos clientes pessoa jurídica para este tipo de financiamento, principalmente, os ligados ao ramo de prestação de serviços.
A expectativa com o fluxo de turistas para os jogos da Copa do Mundo, segundo ele, está motivando empresários de setores como turismo, transportes e de gastronomia a incrementarem os seus negócios.
“Por vezes, alguns dos investimentos que eles pretendiam fazer não se enquadravam em linhas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e precisavam de celeridade para liberar os recursos. São, muitas vezes, investimento de oportunidade”, explica ele, em vídeorelease à imprensa.
Batizada de Cred Investimento PJ, a nova linha criada pelo Bradesco tem prazos que vão de 37 até 60 meses e variam conforme a atividade e o perfil da empresa.
No caso do setor de franquias, por exemplo, o número de parcelas pode ser estendido em até 72 meses e no máximo 180 dias de carência, sendo que 70% do investimento pode ser financiado, conforme Souza. As taxas de juros iniciam em 1,89% ao mês e também são estabelecidas de acordo com o cliente.
O diretor do Bradesco lembra que a nova opção de crédito ao conjugar prazo longo e carência possibilita ao empreendedor da pequena e média empresa enquadrar o pagamento da obrigação em seu fluxo de caixa sem comprometer o capital de giro. Embora a expectativa do banco seja liberar R$ 4 bilhões para esta modalidade neste ano, não há limitação para disponibilidade de recursos nesta linha, de acordo com ele.
“A demanda que vier o banco está preparado para atender. O setor de pessoa jurídica movimenta bastante a cadeia produtiva de negócios e a própria economia. O Brasil tem aproximadamente 8 milhões de empresas. Temos espaço muito grande para crescer, especialmente, as micros, pequenas e médias empresas”, diz o executivo.
As PMEs representam 92% da carteira de pessoa jurídica do Bradesco. Ao final de 2013, a carteira da instituição somava R$ 128,5 bilhões, volume 11,4% superior ao visto em um ano.
Apesar de crescer os empréstimos, a inadimplência do segmento de pequenas e médias empresas recuou no ano passado, de 4,2% em dezembro de 2012 para 3,7% no mesmo período de 2013.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email