Linha de crédito da Afeam para motoristas de app, mototaxistas e taxistas tem baixa procura

O programa Mais Crédito Amazonas, linha de financiamento direcionada a motoristas de app, mototaxistas e taxistas por meio da Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas),  registra baixa adesão dos profissionais. O cenário surpreende, já que o programa oferta até R$ 10 mil com condições especiais e com descontos sobre os juros que podem ser utilizados para o reparo e manutenção dos veículos e aquisição de peças para melhorias na qualidade dos serviços prestados.

A Afeam informou que embora liberado, não tem um quantitativo de contemplados e nem o montante de crédito já disponibilizado. Contudo afirmou que os números são baixos para a categoria.

De acordo com o presidente do sindicato dos motoristas de aplicativo de Manaus, Alexandre Matias, cerca de 80% da categoria de motoristas, entregadores e taxistas por aplicativo, têm um deficit financeiro muito grande, o que deve refletir na baixa adesão dos profissionais ao crédito. ”Muitos com restrições no nome, e as burocracias para se conseguir obter o financiamento mínimo são gigantescas. Então, por isso que existe a baixa procura, devido também às grandes restrições que a Afeam impõe. Não tem certa exigência para agricultores nem pescadores, mas tem essa restrição para a nossa categoria. Por isso que a adesão é muito baixa”, questionou. 

Segundo o representante da categoria, observa-se também que a linha de crédito é muito baixa, não dá pra adquirir um veículo no nosso modal, dá pra fazer pequenas manutenções, dá pra conseguir colocar um kit GNV que poderia ser patrocinado pelo Estado, abrir linha de crédito pra isso, mas é quase que inviável, é quase que buscar crédito num banco comum”, avaliou. 

Ele lembra que em algumas reuniões junto a Afeam, propôs facilidades para que a categoria tivesse mais facilidade de acesso ao crédito.  “As dificuldades ainda são as mesmas há cinco anos. Então eu acredito que não tenha motorista que atenda esse perfil que eles exigem, para abrir uma linha de crédito hoje. Então, a maioria dos carros, acredito que mais de 70% a 80% sejam alugados, o que o motorista quer é uma ferramenta de trabalho, pelo menos a entrada para um veículo próprio. Se a Agência abrisse, pelo menos, uma linha de crédito, um financiamento de veículos para motorista para aplicativos, com regras mais amenas do que o mercado, aí seria vantajoso para a gente. Até faríamos uma propaganda muito grande sobre isso”. Ele acredita que o acesso facilitado ao recurso atingiria em média dez mil profissionais aderindo ao programa.

Por sua vez, o presidente do Sintax-AM (Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas), Márcio Fleury, diz que a classe adere ao programa, não com muita intensidade. Segundo ele, o sindicato tem ajudado muitos colegas taxistas que estejam procurando essa linha de crédito. “Como é tudo online e tem horário, tem uma série de situações, tem que ter o e-mail, então o sindicato tem atuado nessa área aí para tentar fazer com que essa linha de crédito chegue lá na ponta. Mas é um programa sim bom, mas a nossa maior intenção, a intenção maior nossa da categoria”, destacou. 

Ele também ressaltou que a intenção do sindicato para que ajude todos os taxistas é conseguir uma linha de crédito de financiamento, de veículo, seu táxi, que não seja um valor integral, mas num valor de pelo menos até R$ 70 mil a R$ 80 mil. “A gente vai trabalhar isso sim com o governo para que a categoria consiga essa linha de crédito. Já tentamos lá atrás, no governo passado, mas foi negado e agora a gente vai tentar de novo com esse novo governo também.  Então a gente vai trabalhar para que os taxistas possam conseguir uma linha de crédito de financiamento também, não só de capital de giro”, frisou Márcio Fleury. 

Para obter o crédito, é necessário que os motoristas sejam cadastrados nas empresas que realizam serviço de transporte através de aplicativos, taxistas e mototaxistas permissionários.

Conforme a Afeam,  os recursos do crédito incluem taxa de juros 6% ao ano, desconto de 25% no valor das parcelas para os pagamentos em dias, o que acaba reduzindo os juros anuais para 4,5% ao ano. Clientes especiais da Afeam poderão fazer parcelamento em até 36 meses, com carência de 180 dias para pagamento da parcela inicial.

Para quem busca o crédito, o site da Afeam detalha que a liberação está de acordo com o perfil do condutor. No caso de motoristas de aplicativo e taxistas, os financiamentos vão de R$ 5 mil a 10 mil; Já para os mototaxistas, o crédito varia de 5 a R$ 7 mil. 

Por se tratar de financiamento para produção é obrigatório a comprovação da aplicação dos recursos. 

O financiamento deve ser solicitado através do site da Afeam https://www.afeam.am.gov.br/ ou realizar o cadastro e a inscrição no programa de crédito.

Andréia Leite

é repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário