Liderança e assertividade

As pessoas dentro de uma equipe estão em constante interação (se você por acaso estiver em uma equipe onde não haja interação, por favor, caia fora o quanto antes!). Mesmo nas equipes virtuais ou geograficamente dispersas existe a interação, que se dá por meio de chats, videoconferência, mensagens instantâneas e outros meios que a tecnologia coloca a disposição para aproximar as pessoas. Decorrentes dessa interação surgem situações de conflitos, que podem convergir para oportunidades de crescimento e coesão da equipe ou então descambar para o caos e baixa produtividade, dependendo, principalmente, da ação do líder.
Uma ferramenta que podemos utilizar quando em situações de conflitos é a assertividade, que pode ser definida como a capacidade que uma pessoa possui em defender seus direitos de modo a não violar os direitos dos outros. Esse tipo de comportamento está diretamente ligado aos nossos sentimentos, pensamentos, crenças e valores, que são expressos durante nossas interações.
Da mesma forma podemos ter o comportamento não-assertivo, que é aquele onde a pessoa age de modo que as necessidades dos outros são mais importante que as suas ou então que somente a sua necessidade é o que interessa, deixando o outro de lado. Assim somos não-assertivos quando damos prioridade às necessidades dos outros ou então buscamos somente a satisfação de nossas próprias necessidades, sem levar em conta a ética. Existem ainda outros tipos de comportamentos que devemos levar em consideração quando estamos tratando da forma como as pessoas lidam com o conflito:
Comportamento passivo – Trata-se do individuo que não confere importância as suas próprias necessidades, achando que os sentimentos e desejos dos outros são mais importantes que os seus. A pessoa passiva não possui iniciativa e nem a capacidade para atingir as metas e objetivos definidos. Muitas vezes o individuo passivo deixa que os outros decidam por ele, achando que dessa forma está sendo assertivo. Pessoas que adotam o comportamento passivo geralmente possuem baixa autoestima e parecem estar sempre se desculpando por tudo. Essa baixa autoestima pode levar até mesmo à depressão. Quem adota esse comportamento tenta evitar o aparecimento de qualquer tipo de conflito, nem que para isso se torne submisso, procrastina o máximo possível qualquer decisão (por mais simples que seja) e procura não tomar iniciativas, pois teme agravar problemas simples.
Comportamento manipulador – Também chamada de a “arte de seduzir”, esse comportamento retrata a pessoa que busca satisfazer suas necessidades por meio da utilização de meios furtivos e até mesmo impróprios. São hábeis em utilizar a dissimulação e a insinuação. São verdadeiros camaleões, moldando seus comportamentos e opiniões de acordo com o que agrada os outros, buscando dessa forma conseguir confiança para então explorar o outro. O manipulador busca fazer com que os outros o sigam, disfarçando seus próprios interesses como ideais ou princípios que devem ser perseguidos. Esse comportamento poder trazer algum ganho em curto prazo, porém torna-se ineficaz no longo prazo, pois as reais intenções acabam por aparecer, o que acarreta em perda de credibilidade e afastamento das pessoas, gerando então conflitos improdutivos.
Comportamento agressivo – característico dos indivíduos que buscam atacar os outros, buscando satisfazer suas necessidades de forma agressiva sem levar em consideração as necessidades dos outros. Enquanto o manipulador utiliza a sutileza, o agressivo manifesta seus desejos diretamente, porém de forma inadequada. Busca utilizar a coerção, ameaças ou punições para submeter os outros à sua vontade. Ele busca se mostrar superior por meio da desvalorização e opressão do outro, deixando o ambiente hostil. Este comportamento é ineficaz, pois somente traz agressividade e inibição ao ambiente de trabalho.
As organizações atuais buscam em seus líderes indivíduos capazes de aglutinar as idéias dos outros de modo a se conseguir a melhor solução. Criando um ambiente onde as pessoas possam utilizar sua criatividade e sejam capazes de solucionar problemas de forma compartilhada. A utilização do comportamento assertivo ajuda na resolução de muitos dos problemas do dia a dia em nossas organizações. O líder que pratica esse comportamento vai muito além do chefe que busca atingir seus objetivos por meio do autoritarismo e da intimidação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email