29 de junho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Lidando com as diferenças no trabalho

Há muitos desafios que envolvem o meio corporativo, dentre eles o gerar uma comunicação assertiva com todos, considerando suas diferenças de personalidade, temperamentos, interesses e tantas outras particularidades que envolvem as pessoas.

Pensar o que fazer para que as relações fluam é o caminho para se chegar a um acordo plausível para todas as partes, diminuindo as tensões, favorecendo para harmonia e gerando mais saúde para todos no ambiente.

Sabemos mesmo que pessoas são diferentes das outras e muitas vezes os membros da equipe não conseguem lidar uns com as limitações dos outros, porque sempre pendem para o lado de querer ter razão pelos seus atos. 

Vale lembrar que em uma equipe todos são os responsáveis pelos seus resultados, todos são agentes de mudança e todos são protagonistas para resolver problemas, promover soluções, gerar produtividade, ter metas alcançadas e tudo com relacionamentos positivos para todos.

Por isso é tão importante saber separar a forma de lidar em diversas situações. Eis algumas dicas:

  • Realinhe as expectativas: Há pessoas mais reservadas, outras mais diretas, algumas bem mais expressivas, saber lidar com a particularidade do outro evita desgastes e estresses desnecessários. Queira ser ouvido, mas saiba também ouvir as pessoas ao seu redor no modo dela ser e não no seu. Combine formas de entregas e tratamentos para que todos sintam-se respeitados em suas identidades e mantendo o comum acordo de tudo o que não for consenso.
  • Não queira sempre ter razão: nem você e nem os outros têm a capacidade de não errar nunca. Aceite com afeto as falhas dos outros também e tente ajudar no que for necessário. Quando estamos abertos para lidar com as vulnerabilidades nossas e dos demais, abrimos espaço para evoluirmos juntos sem críticas e julgamentos.
  • Fale o que precisa com empatia: Alinhando as expectativas e sabendo que não detém de toda a razão, fale o que deve falar com empatia, da forma que o outro em suas experiências gostaria de ser respeitado. Nem sempre estamos em um bom dia e nem sempre vamos conseguir agir de forma coerente com o que pensamos ou pregamos, mas vale um esforço de silenciar se for para tratar o outro mal, pensar antes de agir e falar amorosamente o que incomoda. É através da conversa que os problemas são resolvidos. Os conflitos são positivos, mas os embates não ajudam em momentos de tensão.

Ter inteligência emocional em um ambiente corporativo nem sempre é fácil, mas é gratificante saber conduzir bem aquilo que sentimos e pensamos. Somos donos dos nossos atos e não escravos de pensamentos e sentimentos desordenados e inconsequentes.

Ninguém tem culpa das nossas limitações, falhas e medos. Todos estamos caminhando em busca de algo e se pudermos aliviar o fardo das pessoas ao nosso redor, que assim seja. É pensando no coletivo e no bem comum que se consegue atingir até os corações ditos como mais duros. 

Você não precisa se sentir mal em falar o que deve, o que pensa e o que acha que poderia ser melhor, mas pode fazê-lo com verdade e amor ao invés de mentiras com desamor. 

Lembre-se sempre que podemos falar sobre tudo e tudo o que quisermos, mas com respeito ao outro, quando perdemos esse respeito e falamos de qualquer forma, corremos o risco de magoar pessoas que não mereciam ser magoadas e ainda passamos uma má impressão daquilo que somos verdadeiramente.

Cintia Lima

Psicóloga, Mentora de Líderes e Coach Executiva

@psi.cintialima

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email