LG recebe aval para ampliar a produção no PIM

O titular da Sepec (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia), Carlos da Costa, reuniu a imprensa, nesta terça (11), para anunciar a aprovação da projeto da LG Eletronics do Brasil Ltda ad referendum, após mudanças na proposta, com aumento de empregos previstos nas novas linhas de produção, de 68 para 150. O anúncio ocorreu duas semanas depois da retirada do projeto da multinacional coreana da pauta da 297ª Reunião Ordinária do CAS, e de toda a repercussão negativa em torno da iniciativa. 

Ocorrida em 28 de abril, a mais recente reunião do Conselho de Administração da Suframa aprovou uma pauta de 27 projetos industriais e de serviços (oito de implantação e 19 de ampliação, atualização e diversificação), com investimentos de R$ 950 milhões (US$ 174 milhões) e geração de 1.353 novos empregos no PIM. O titular da Sepec pediu, contudo, que o projeto da LG ficasse de fora para ser alvo de uma análise mais detalhada, em razão da relação entre a geração de postos de trabalho e o aporte de capital – e renúncia fiscal – da propositura.

A fabricante asiática de eletroeletrônicos propôs diversificar suas linhas de produção no PIM mediante a fabricação de microcomputadores portáteis, monitores de vídeo com tela de LCD, unidades digitais de processamento de pequeno porte com monitores de vídeo e unidades de memórias montadas em um mesmo corpo ou gabinete. A previsão de investimentos é de R$ 325 milhões e a expectativa de geração empregos contabilizava 68 novas vagas.

“Esse projeto tem um número de empregos desproporcionalmente baixo para o volume de investimentos públicos realizados nele. É cerca de três vezes superior à média histórica da Suframa. Temos alertado em outras reuniões que precisamos de mais projetos como o da Samsung [que previa o aporte de R$ 231 milhões para 366 empregos e foi aprovado]. Só assim, vamos acabar com a miséria na região. Um projeto que tem quase que o dobro de outro que gera cinco, seis vezes mais postos de trabalho, precisa ser avaliado com mais critério”, justificou. 

“Conversas amistosas”

Na ocasião, Carlos da Costa salientou que a decisão se amparou em medida “meramente regimental” e que isso não significa a pura e simples reprovação do projeto, mas apenas que esta levará um período mais amplo para que o governo federal possa avaliar “com cautela” se é possível aumentar o nível de empregabilidade. Também apelou para a responsabilidade social, econômica e regional dos investidores. Ontem, o titular da Sepec anunciou que o entendimento ocorreu mais cedo do que o previsto e antes da próxima reunião do CAS.

“Acabamos de ter uma reunião produtiva entre a Sepec, a Fieam e os executivos da LG. Entendemos a urgência de uma decisão para o investimento da empresa. E eles também entenderam a necessidade de criar mais empregos do que os previstos. Depois de conversas amistosas, e reconhecendo a importância da empresa, que é a quarta maior empregadora do PIM, com 2.200 colaboradores, além do compromisso de elevar os quadros de 68 para 150, decidimos que aprovarei esse investimento hoje [ontem] ainda ad referendum. Gostaria de agradecer à LG por acreditar e continuar investindo no Brasil”, declarou. 

“Momento auspicioso”

Presente na coletiva de imprensa, o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, comemorou a decisão e considerou que o momento era “auspicioso” elogiou o aceno do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia em nome do consenso e agradeceu também o empenho da LG em não desistir de sua proposta para a Zona Franca de Manaus.

“O senhor Carlos da Costa sempre foi comprometido com nosso desenvolvimento, desde que assumiu sua primeira reunião do CAS, quando lá esteve também o presidente Bolsonaro. Quero agradecer, em nome da indústria do Amazonas, o compromisso da Sepec, depois de feitas as análises. Agradeço também o compromisso LG de ratificar seu investimento na ZFM, com esse aumento no número de empregos, para que possamos continuar de forma saudável a relação entre a Sepec e a indústria, E adianto que meu voto, como conselheiro do CAS, é acompanhar sua propositura”, afiançou.

“Produtividade e competitividade”

Igualmente presente no evento para a imprensa, o presidente da LG Eletronics em Manaus, Young Seo também se manifestou, por meio de intérprete, em relação à nova decisão federal. O dirigente agradeceu à equipe do secretário Carlos da Costa e reforçando que o diálogo foi “sempre muito amistoso”, permitindo que se chegasse a um resultado que atende às expectativas do governo federal e também “aquilo que a LG propõe para o Amazonas”, que é geração de vagas no mercado de trabalho. 

“Comentei há pouco que a empresa nasceu na Zona Franca com 150 trabalhadores e hoje temos 2.200. Isso é fruto do investimento para encontrar o caminho certo da produtividade e da competitividade, gerando empregos. Estamos aqui para celebrar este momento, que é de vitória para o Amazonas, que poderá contar com esses investimentos e mais esses postos de trabalho. De antemão muito obrigado, secretário, pela compreensão”, finalizou

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email