23 de maio de 2022

Leste de Manaus, uma zona de expansão intensa

A Zona Leste, junto da Zona Norte, forma a macro-zona denominada zona de expansão, sendo a segunda mais populosa da cidade, com 542.593 habitantes. Possui bairros bastante populosos como Zumbi, Jorge Teixeira e São José Operário. Grande parte dos trabalhadores das regiões centrais de Manaus residem na zona Leste, o que a torna um local vital para o funcionamento cidade. Seu comércio é intenso. Nela estão localizados os terminais de integração T4 e T5, o Instituto Federal do Amazonas – Campus Zona Leste, o Teatro Luiz Cabral, o Shopping T4, a mini Vila Olímpica do Coroado, o Estádio Carlos Zamith, o Estádio Roberto Simonsen, o Clube do Trabalhador, a Feira do Produtor, Feira do Coroado, o Centro Cultural Thiago de Mello, o campus da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), o UAI Shopping São José, o Shopping Grande Circular, o Shopping Cidade Leste, o Pronto Socorro João Lúcio Pereira Machado, o Pronto Socorro Platão Araújo e a Maternidade Ana Braga.

ARMANDO MENDES: O bairro Armando Mendes foi fundado no dia 25 de agosto de 1987. Recebeu esse nome em homenagem ao genitor do idealizador do local, o Governador Amazonino Mendes. A proposta do Governo era criar um local planejado para abrigar pessoas que residiam às margens dos igarapés e as que vieram do interior em busca de trabalho. No entanto, como viria a ocorrer em vários pontos da cidade, o lugar passou a ser invadido e cresceu de forma desordenada. Hoje é um bairro movimentado, com comércios, escolas, igrejas, praças, quadras de esporte e uma feira municipal. Possui cerca de 28.288 habitantes.

COLÔNIA ANTÔNIO ALEIXO: O bairro Colônia Antônio Aleixo foi, no passado, região isolada da cidade. Na década de 1940 o local foi escolhido para abrigar uma colônia de portadores de hanseníase, doença sobre a qual existia um enorme preconceito na época, fazendo com que as pessoas fossem isoladas do convívio social. Iniciou suas atividades em 1942, tendo funcionado até a década de 1970, quando já contava com 2.000 pacientes. O Governo do Estado loteou o lugar para abrigar, além dos antigos pacientes, seus familiares, tendo ocorrido invasões ao longo do tempo. O bairro cresceu significativamente, contando com empresas do ramo de autopeças, confecções, restaurantes, restaurantes, unidades básicas de saúde e escola. Sua população é de 19.626 habitantes.

COROADO: O bairro Coroado surge em 1968 através de invasões feitas nas terras que pertenciam à Universidade do Amazonas, posteriormente Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Essas pessoas vinham de diferentes lugares da cidade, principalmente da antiga Cidade Flutuante, desativada no ano anterior. Em 1971 o Governador João Walter de Andrade doou alguns lotes de terras para essas pessoas. O local começou a ser urbanizado no Governo de José Bernardino Lindoso (1979-1982). A partir daí, o bairro cresceu, ganhando escolas, unidades básicas de saúde, postos policiais e empresas. Possui um pujante comércio, localizado principalmente na Avenida Cosme Ferreira. Possui pouco mais de 51.354 habitantes.

DISTRITO INDUSTRIAL II: O Distrito Industrial II é um bairro recente, formado a partir de desmembramento do Distrito Industrial I, sendo oficialmente criado através da Lei n° 1.401/10 de 14 de janeiro de 2010. Além de ser área de expansão das indústrias do Distrito Industrial, sofre com constantes invasões. Possui cerca de 3.899 habitantes.

GILBERTO MESTRINHO: A área que futuramente viria a ser conhecida como bairro Gilberto Mestrinho, originalmente pertencente ao bairro São José Operário, começou a ser ocupada através de invasões na década de 1990. O bairro é de urbanização recente, tendo recebido água encanada e outros melhoramentos apenas em 2008. Ainda assim, carece de muitos serviços essenciais, como segurança e saúde. O reconhecimento como bairro se deu apenas em 2010. É bastante populoso, com cerca de 65.429 habitantes.

JORGE TEIXEIRA: O bairro Jorge Teixeira surgiu a partir de invasões, sendo criado oficialmente em 14 de março de 1989 pelo então Prefeito Arthur Virgílio Neto, que doou terras para pessoas carentes que se instalaram no local. É o segundo mais populoso da cidade, com 128 mil habitantes. Os principais estabelecimentos comerciais, que movimentam a vida do bairro, encontram-se na Avenida Brigadeiro Hilário Gurjão, conhecida popularmente como Rua do Fuxico. Nele está localizado o Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo.

MAUAZINHO: O bairro Mauazinho começou a ser ocupado no período de construção do Distrito Industrial, entre 1967 e 1968. A construção do Porto da Ceasa, em 1969, atraiu ainda mais pessoas para a região, que só recebeu urbanização por parte da Prefeitura entre as décadas de 1980 e 1980. Além do Porto da Ceasa, que movimenta toneladas de produtos, abriga indústrias e refinarias. Possui pouco mais de 23.560 habitantes.

PURAQUEQUARA: O bairro Puraquequara, cujo nome significada “morada do poraquê”, é formada pela junção de 23 comunidades ribeiras estabelecidas desde princípios do século XX, das quais destacam-se Bela Vista, Giró, Boa Vista, Mainã, Ipiranga, Progresso, Monte Horebe, Jatuarana, Igarapé do Inferno, Santo Expedito, Nossa Senhora de Nazaré, Ierê, Igarapé da Castanheira, Agrícola João Paulo, Santa Luzia, São Francisco, Ramal do Rufino, Ramal 14, Ramal Caixa d’ água, Tabocal e São Joaquim. Na década de 1990 elas foram unidas para dar origem ao bairro, que hoje conta com 6.923 habitantes.

Um dos poucos locais da cidade em que os moradores convivem com a natureza é o bairro Puraquequara – Foto: Divulgação

SÃO JOSÉ OPERÁRIO: O bairro de São José Operário começou a ser ocupado através de invasões entre o final da década de 1970 e o início dos anos 1980. Seus primeiros moradores eram ribeirinhos que vieram do interior em busca de melhores condições de vida na capital, que acabara de inaugurar seu Distrito Industrial, com milhares de vagas disponíveis. O comércio concentra-se na Avenida Autaz Mirim. Possui 78.222 habitantes.

O São José é o maior bairro desta região que está há ano em pleno crescimento – Foto: Divulgação

TANCREDO NEVES: O bairro Tancredo Neves surge na década de 1980 através de invasões na estrada que fazia a ligação entre os bairros São José Operário e Cidade Nova. A urbanização se deu na administração municipal de Manoel Ribeiro. Nos anos 2002 parte dele foi dividido nas comunidades Nova Floresta, São Lucas, Nova Conquista, Novo Reino e Comunidade de Deus. Com comércio agitado, que se concentra principalmente na Avenida Grande Circular, possui 57.728 habitantes.

ZUMBI DOS PALMARES: O bairro Zumbi dos Palmares surgiu em 1986 através de invasões de pessoas vindas de outros bairros da cidade, como o São José Operário e Aleixo. As sucessivas ondas de ocupação fizeram o lugar ser dividido em Zumbi II e Zumbi III. Sua população é 41.563 habitantes. A urbanização chega na década de 1990, estando ainda nos dias de hoje em processo de expansão.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email