Leonel pode abandonar eleições 2012

Às vésperas do início oficial da propaganda eleitoral gratuita veiculada no rádio e na televisão, crescem os rumores na CMM (Câmara Municipal de Manaus) dando conta de que o vereador Leonel Feitoza (PSD), pretende se retirar da disputa pela reeleição à CMM. Enquanto seus colegas vereadores estão em franca campanha eleitoral, utilizando audiovisual (cartazes, outdoor, santinhos, adesivos, carros de som, blogs, SMS, e-mails, entre outros), Feitoza está apático sem apresentar nenhum interesse pela campanha.
Em entrevista ao Jornal do Commercio sobre a polêmica causada pela forma como foi comunicada a prorrogação do prazo de entrega do relatório da CPI da Água, Leonel Feitoza, que preside a Comissão de Inquérito, resolveu fazer desabafos:
“Os técnicos me pediram um tempo maior para poder analisar toda a documentação que chegou à Câmara, e eu não teria como negar aos técnicos. Até porque, para você fazer um relatório embasado, você tem que ter subsídios para isso. Porque vieram documentos incompletos, nós pedimos documentos novamente e só agora chegaram documentos completos. Porque o novo prazo? Foi o tempo pedido pelos técnicos. E vamos ter um intervalo grande dos feriados da Semana da Pátria, entendeu. Se eles querem fazer política, eu não. Vocês entenderam? Essa é a diferença.”
“A CPI não interferiu em nada absolutamente, são 24 anos de Câmara. A gente, às vezes, tem que dar um passo para trás para dar dois à frente. Não tem nada de influência de ninguém, eu adoro a Câmara, mas eu acho que, como dizia o apóstolo Paulo: ‘Eu combati um bom combate’, eu completei minha jornada.”

Indiferença

Para os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), a semana foi agitada com assuntos polêmicos em votação, presença de servidores públicos no plenário e decisões que sobressaltaram a CPI da Água, entre outros. Neste caso, o principal destaque foi a tomada de surpresa pelo relator da CPI, Marcel Alexandre, e perplexidade dos demais membros ao receberem o protocolo assinado pelo presidente da CPI, Leonel Feitoza, prorrogando por 30 dias a entrega da prévia do relatório, que já estava pronta para ser apreciada naquele mesmo dia (15).
Foi unânime a opinião de que o presidente da comissão mudou sua postura diante da CPI ao atender um pedido dos técnicos sem uma prévia consulta aos demais membros, fato marcante para levantar a questão de que Feitoza estaria desmotivado em relação aos assuntos da CMM.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email