Leilão tem lance de R$ 292 milhões

O Tropical Hotel Manaus irá a leilão no dia 19 de agosto. Avaliado em R$ 292.158.291,92, mais uma vez, o empreendimento Companhia Tropical de Hotéis da Amazônia está à mercê da Justiça diante de uma Ação Monitória (pagamento de soma em dinheiro), motivada por um débito no valor de R$ 11.549.814,29, contraído pelo hotel junto a Eletrobras Amazonas Energia, desde 1995. Nesse período o Tropical Hotel foi hipotecado no valor de US$ 100 milhões pela então companhia aérea Varig, junto ao banco Brasilian American Merchant Bank.
A ação judicial está em fase de Cumprimento de Sentença, sendo expedido pelo Juíz de Direito da 7ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, o Edital de Praça/Intimação que consta nos Autos do Processo de nº 0213060-22.2010.8.04.0001 protocolado em 19 de março de 2010. Ora assinado pela Juíza de Direito, Joana dos Santos Meirelles, no dia 18 de julho e publicada no DOU em 25 de julho do corrente ano.
Outra tentativa de levar o Tropical Hotel Manaus a leilão foi suspensa por decisão da desembargadora Carla Reis, do TJAM (Tribunal de Justiça do Amazonas) resultado de ação rescisória de 09 de dezembro de 2011. A ação foi interposta contra decisão definitiva e transitada em julgado do juiz da 7ª Vara Cível da Capital, tendo como ré a Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A, ainda Eletronorte, atual Eletrobras Amazonas Energia. O hotel estava avaliado em R$ 186.869.820,00 à época.

Hotel não aceita

O hotel resort pertence à rede Tropical Hotels & Resorts Brasil, que detém mais cinco empreendimentos do mesmo porte no Brasil. Segundo a administração do Hotel Tropical Manaus, medidas judiciais cabíveis estão sendo tomadas e reitera sua confiança na justiça e na revisão da sentença que determinou o leilão do hotel, em especial por considerar o valor envolvido no processo onde tal decisão foi proferida ser “extremamente” inferior ao valor do empreendimento.
Em nota ao Jornal do Commercio a rede Tropical de Hotéis, ainda frisou que não aceita a venda judicial deste complexo hoteleiro para a quitação da dívida junto a Eletrobras, fora os impactos sociais que a medida poderá causar.
Já a Eletrobras Amazonas Energia espera que o devedor efetue o pagamento da dívida evitando-se que o imóvel vá a leilão. Por outro lado, caso persista o inadimplemento, a requerente confia no sucesso da hasta pública, posto que a recuperação do crédito está apoiada nas melhores expectativas, já que todos os procedimentos possíveis dentro da dinâmica processual foram praticados pela Amazonas Distribuidora de Energia S/A, informou em nota ao JC.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email