Justiça libera obras na Arena da Amazônia

A Justiça do Trabalho liberou, na tarde de ontem, as obras da Arena da Amazônia que estavam parcialmente interditadas desde o último domingo (15). A decisão atendeu parecer da perícia judicial que atestou o cumprimento das recomendações de segurança do trabalho por parte da construtora Andrade Gutierrez.
“A partir da agora, nós vamos discutir com a Andrade Gutierrez para refazer o cronograma, reprogramar o que falta ser feito, para então determinarmos novos prazos de entrega”, afirmou o coordenador da UGP COPA, Miguel Capobiango Neto.
O coordenador reafirmou a preocupação do governo do Estado de que a construtora continue cumprindo as medidas de segurança que já eram adotadas na Arena e as que foram recomendadas pela Justiça no acordo assinado ontem.
A juíza do Trabalho Margarete Dantas Pereira Duque liberou os trabalhos considerando que a empresa adotou as providências corretivas apontadas pelo perito judicial, com vistas à desinterdição de todos os setores de obras que envolvem trabalho em altura. Na decisão, a magistrada determina ainda que os trabalhos na cobertura sejam suspensos durante o período noturno.
A perícia começou a ser feita na segunda-feira (16) e estendeu-se até a manhã desta quarta. O laudo foi assinado por dois peritos judiciais e os trabalhos de inspeção foram acompanhados por um perito do MPT (Ministério Público do Trabalho) e por outros três peritos de segurança da construtora Andrade Gutierrez.
Com a retomada das obras, todas as frentes de trabalho voltaram às atividades e os dois mil trabalhadores retornaram às suas funções, inclusive com os trabalhos em altura.

Atraso iminente

Na iminência de atraso na entrega da Arena da Amazônia, governador Omar Aziz listou as obras de algumas cidades-sede da Copa 2014 que apresentaram problemas graves e que não devem cumprir o cronograma da FIFA. Ele afirma que o governo do Amazonas não tem pressa em entregar a Arena por questão de segurança do trabalho.
“Existe uma pressão da imprensa quanto ao cumprimento do cronograma da Fifa. Mas se formos ver o estádio do Internacional em Porto Alegre (RS), a Arena Beira-Rio não vai ficar pronta nem este ano, nem em março –prazo limite da Fifa. Da mesma forma, acontece em Curitiba (PR), na Arena da Baixada; Natal (RN), Arena das Dunas; Cuiabá (MT), Arena do Pantanal; e em São Paulo (SP), na Arena Corinthians, nem se fala. Mas o pessoal fica insistindo nessa pressa”, desabafou.
“O Estado não recorreu da decisão do MPT (Ministério Público do Trabalho) em pedir a interdição da obra por entender que a empresa tem que cumprir todas as normas para que todos tenham a segurança no trabalho. E isso eu venho alertando há muito tempo”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email