Juiz Márcio Rothier recebe o “Título de Cidadão do Amazonas”

O juiz de Direito Márcio Rothier Pinheiro Torres, titular da 12.ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho da Comarca de Manaus, foi homenageado na sexta-feira (11/06) com o “Título de Cidadão do Amazonas”, concedido pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). O desembargador Abraham Peixoto Campos Filho representou a Presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) na sessão solene de outorga da honraria, que aconteceu no Plenário Ruy Araújo, na sede do Poder Legislativo.

A concessão do “Título de Cidadão do Amazonas” ao magistrado do TJAM foi formalizada pelo Projeto de Lei Ordinária n.º 88.202/2020, proposto pelo deputado Roberto Cidade, presidente do Legislativo Estadual, e aprovado por unanimidade pelos parlamentares da Casa.

O título busca homenagear e reconhecer a contribuição de pessoas que, de forma direta e pessoal, tenham prestados serviços relevantes ao Estado e ao povo do Amazonas. Carioca, Márcio Rothier, formado em Direito pela Universidade Santa Úrsula (Rio de Janeiro), chegou ao Amazonas há 36 anos.

Em junho de 1988 assumiu a função de assessor técnico especial no Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM) e, em setembro do mesmo ano, foi reclassificado ao cargo de procurador-adjunto da Corte de Contas, função que exerceu por 8 anos e meio. Em 7 de fevereiro de 1996, ingressou na magistratura amazonense, nomeado para exercer o cargo de juiz substituto de carreira do Tribunal de Justiça do Amazonas, iniciando suas atividades na Comarca de Santa Isabel do Rio Negro, passando a responder, no mesmo ano, também pela Comarca de Barcelos. Atuou ainda nas Comarcas de São Gabriel da Cachoeira, Codajás, Maués, Boa Vista do Ramos, entre outras. Como juiz eleitoral exerceu sua função nas Comarcas de Maués, Manaquiri, São Gabriel da Cachoeira e Manaus. Em três ocasiões, assumiu a Prefeitura de Barcelos e, por duas vezes, a Prefeitura de Boa Vista dos Ramos, municípios do interior do Amazonas, em função de impedimento dos respectivos titulares e seus substitutos. Promovido por merecimento, em 1985, a juiz de 1.ª Entrância, assumiu a titularidade da 4.ª Vara da Fazenda Pública Estadual, até 2018, quando passou a ser titular da 12.ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho.

Na saudação feita ao homenageado, o presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade, destacou a trajetória do juiz Márcio Rothier por seu “trabalho ético e que merece todo reconhecimento; por sua inegável contribuição e conduta ilibada para com o Estado. Sempre atuante e comprometido com suas funções, tanto na capital quanto nos municípios do interior em que atuou”.

Representando a Defensoria Pública do Estado na solenidade, o subdefensor público-geral do Amazonas, Thiago Nobre Rosas, foi escolhido para falar em nome dos demais componentes da mesa de autoridades da sessão solene.

Agradecimentos

Em seu discurso, o juiz Márcio Rothier expressou agradecimentos aos amigos e familiares, homenageou a memória daqueles que já partiram, em especial seus pais – Paulo e Helena –, destacou a importância da esposa Selene e dos filhos – Gabriela e Luís Paulo – na sua vida e disse estar muito emocionado com a homenagem feita pela Assembleia Legislativa do Estado.

“Agradeço ao Amazonas, ‘Amazonas de bravos que doam, sem orgulho nem falsa nobreza, aos que sonham teu canto de lenda, aos que lutam mais vida e riqueza’”, acrescentou, citando os versos de Jorge Tufic, que formam uma estrofe do Hino do Amazonas.

Ao falar de sua trajetória de 33 anos na magistratura, Márcio Rothier lembrou do trabalho nas Comarcas do interior do Estado e disse que, ao assumir a titularidade da comarca de Santa Isabel do Rio Negro, mesmo tendo a opção de viajar para o município de avião, preferia fazer o percurso de barco, o que o aproximou muito da realidade das populações do interior.

“Eram 13 horas e meia de máquina (do barco) funcionando a 40 milhas por hora; muitas vezes eram 50 horas de viagem incluindo as paradas”, contou o magistrado, ressaltando que a primeira viagem, após a nomeação para o cargo de juiz substituto de Santa Isabel foi feita em companhia do também recém-nomeado escrivão João Barroso, hoje procurador-geral de Contas do TCE, e uma das autoridades que participou, de forma virtual, da solenidade desta sexta-feira.

“Com braveza, me doei e prometo continuar me doando à Magistratura amazonense; com prazer em servir, tentando fazer o bem, sem olhar a quem. Como Deus mostra ao homem da floresta a planta que cura, sempre peço a Ele que me mostre a cura do Direito de sua gente. Quando alguém me pergunta, digo: sou carioca da gema, caboclo por opção”, afirmou o juiz Márcio Rothier.

Autoridades

Além do desembargador Abraham Peixoto Filho, participaram da mesa de autoridades da sessão solene desta sexta-feira o procurador-geral do Município de Manaus, Marco Aurélio de Lima Choy, representando o prefeito David Almeida; Thiago Nobre Rosas, subdefensor público-geral do Amazonas; o juiz Luís Márcio Nascimento Albuquerque, presidente da Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon); e, de forma virtual, também prestigiaram a solenidade o procurador-geral de Justiça do Estado, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior e o procurador-geral do Ministério Público de Contas, João Barroso, representando o Tribunal de Contas do Amazonas (TCE/AM).

Foto/Destaque: Chico Batata

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email