Abertura de novas empresas cresce em 2020, aponta Jucea

A Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea) registrou, de janeiro a dezembro de 2020, a constituição de 6.620 novos empreendimentos no estado. Um crescimento de 17,6%, segundo dados do Sistema de Registro Mercantil (SRM) da autarquia — vinculado ao Ministério da Economia —, em comparação a igual período de 2019, quando foi arquivado um total de 5.628 novos estabelecimentos comerciais.

Conforme o relatório do SRM, em 2020, foram extintas 2.823 empresas, 397 mais do que o registrado em 2019, com o número de 2.426 extinções. Ainda de acordo com o Sistema de Registro, julho de 2020 foi o mês que arquivou o maior número de extinções no estado, com um total de 374 empresas. Já no mês de setembro de 2020, a Jucea registrou o maior número de novas empresas constituídas, com um total 706 novos empreendimentos.

Para a presidente da autarquia, Maria de Jesus Lins, apesar da alteração no cenário econômico mundial devido à pandemia de Covid-19, o Amazonas conseguiu manter uma percepção positiva dos negócios no estado no ano passado.

“Os números registrados na Jucea nos mostram que conseguimos manter o fôlego em plena crise econômica, mesmo com o crescimento no número de empresas extintas. Acreditamos que o pacote de medidas fiscais e de linhas de crédito do governo estadual para a população possa reduzir os impactos econômicos causados pelo Covid-19”, afirmou.

Dezembro 

No último mês do ano de 2020, a Junta Comercial do Amazonas constituiu 569 novas empresas, número superior ao de dezembro de 2019, que teve 346 constituições. Nas extinções, dezembro de 2020 também foi melhor que o de 2019, com o registro de 211 extinções contra 261 do ano passado.

Natureza jurídica 

Entre os tipos empresariais mais registrados no Amazonas em 2020, o Empresário Individual (incluindo o Microempreendedor Individual – MEI), lidera a procura pelo empreendedor, com um total de 33.738 constituições. Em seguida veio o registro de Sociedade Empresária Limitada, com 2.067 aberturas.

Outro ponto de relevância do relatório é que o setor de serviços se destacou entre os demais setores – comércio e indústria – e totalizou 21.487 registros no Amazonas.

Arrecadação 

Outro ponto de equilíbrio demonstrado pelo SEM é quanto à arrecadação da autarquia, em comparação aos anos de 2019 e 2020, uma vez que no ano de 2019 foi recolhido o valor de R$ 10.626.217,23 em taxas, um pouco acima do arrecadado no ano de 2020, que, mesmo com a paralisação das atividades econômicas devido à pandemia, foi de R$ 10.516.084,12.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email