16 de abril de 2021

Jefferson Praia busca volta ao Senado, mas com os próprios votos

Alçado à vaga no Senado em 3 de junho de 2008, por conta do falecimento do titular, senador Jefferson Péres (PDT) do qual era 1º suplente, Praia atuou, nos últimos 2 anos, em diversas Comissões e em CPIs

Considerado como um dos políticos mais versáteis do Estado, tendo militado em diversas causas e atuado nas mais variadas funções, Jefferson Praia (PDT) é um dos candidatos que mais vêm se destacando nestas eleições, já que iniciou a campanha com pouca densidade eleitoral para o cargo que almeja (reeleição para o Senado Federal) e já vem conseguindo crescer nas pesquisas.
Alçado à vaga no Senado em 3 de junho de 2008, por conta do falecimento do titular, senador Jefferson Péres (PDT) do qual era 1º suplente, Praia atuou, nos últimos 2 anos, em diversas Comissões e em CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito). Político jovem, que iniciou a vida pública na militância acadêmica e no movimento estudantil, Jefferson Praia passou por entidades econômicas, mídia e secretarias municipais (Semtra – Trabalho, Emprego e Renda e Semdel – Desenvolvimento Econômico Local), e hoje tem a chance de chegar novamente ao Senado, desta vez apostando na própria imagem e no próprio trabalho já realizado. Em entrevista ao Jornal do Commercio, o candidato do PDT expôs suas principais propostas e aposta que voltará ao Senado no próximo ano.
A entrevista dá seguimento ao projeto do Jornal do Commercio de apresentar aos leitores os principais candidatos a governador do Amazonas e senador da República para este pleito.

Candidato, como avalia o desdobramento da campanha até agora?
Jefferson Praia – Avalio de forma positiva, estou confiante na vitória e acredito que o povo do Amazonas vai reconhecer o trabalho que desempenhei nestes dois anos, sucedendo o senador Jefferson Péres, me reconduzindo ao Senado.
 
Quais suas estratégias para a campanha na reta final?
JP – Minha estratégia na reta final é contar com o apoio dos simpatizantes e aliados da campanha no sentido de conseguir mais votos junto aos amigos, familiares, vizinhos e colegas.
 
Em caso de vitória, qual será sua principal ação no Senado?
JP – Não tenho uma ação principal e, sim várias propostas; a primeira é lutar pelo meu projeto que estabelece o prazo de mais 40 anos para a Zona Franca de Manaus e estende os benefícios da ZFM para a RMM (Região Metropolitana de Manaus) que compreende também, além da capital do Amazonas, os municípios de Iranduba, Novo Airão, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Presidente Figueiredo e Manacapuru; continuarei também com minha luta por uma política de desenvolvimento sustentável para o Amazonas, com mais investimento em pesquisa e educação, para levarmos conhecimento para que as pessoas possam utilizar os recursos naturais de forma sustentável.
Quais seus principais projetos para o Amazonas?
JP – Um dos principais projetos, como já citei, determina o acréscimo de 40 anos ao prazo fixado pela Constituição para a vigência da Zona Franca de Manaus e solicita ainda a inclusão, na ZFM, dos municípios da região metropolitana. Outro projeto importantíssimo para o Amazonas beneficia o agricultor rural. É de minha autoria o projeto de Lei (PLS 324/09), atualmente tramitando no Senado, que garante o pagamento do benefício Garantia-Safra aos agricultores que perderam pelo menos 50% da sua lavoura devido a secas ou excesso de chuvas. Os recursos de R$ 550 por família, atualmente, são destinados apenas aos agricultores do Nordeste e do Espírito Santo. Com o novo projeto, quero beneficiar também os produtores do Amazonas. A iniciativa é, antes de tudo, uma questão de justiça, principalmente, para com o humilde agricultor familiar da nossa região. O Garantia-Safra é um programa do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Pretendo também continuar lutando pela interiorização do desenvolvimento, levando mais emprego e renda, saúde, educação, comunicação, transporte e mais segurança aos municípios do Amazonas. Outra bandeira minha é continuar brigando para agilizar a regularização fundiária da posse de terras no Amazonas. E não poderia deixar de falar da minha luta, a qual pretendo dar continuidade, em prol do asfaltamento da BR-319, por entender que ela é fundamental para o desenvolvimento da nossa região.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email