JAC E-JS1: elétrico mais barato do Brasil

A JAC Motors apresentou nesta quarta-feira (15) o E-JS1, novo carro elétrico da marca, o primeiro fruto da parceria com a Volkswagen a ser desenvolvido na China, e que por lá sai com o selo da joint venture SOL. O Canaltech foi convidado para o lançamento do “carro elétrico mais barato do Brasil”, que sairá das lojas por R$ 149.990, em versão única.

O evento contou ainda com um test-drive para que os convidados pudessem ter as primeiras impressões do novo elétrico. A reportagem experimentou a sensação por aproximadamente 30 quilômetros e, em breve, trará tudo o que o E-JS1 tem de bom —e também o que não funciona tão bem assim, mas isso é assunto para um outro dia.

Voltando a falar sobre o lançamento em si, o preço anunciado realmente é o mais em conta no mercado de elétricos no país, até porque as montadoras por aqui ainda não oferecem muitas opções para o consumidor que quiser colaborar para zerar a emissão de gases poluentes no meio-ambiente. O E-JS1 custa bem menos, por exemplo, do que o Renault Zoe, equivalente da marca francesa, que sai por R$ 219.900 em sua versão completa.

De acordo com o presidente da JAC Motors, Sérgio Habib, o modelo chinês é superior e deve se tornar o elétrico mais vendido do Brasil. “Ele é o carro elétrico mais acessível do mercado brasileiro. O segundo mais barato é o Renault Zoe, que também é compacto, mas o nosso custa R$ 70 mil a menos. O E-JS1 será, rapidamente, o carro elétrico mais vendido do Brasil, não tenho dúvidas”, crava o executivo.Boa parte da confiança de Habib em ver as vendas do E-JS1 emplacarem no país está no combo motorização/autonomia. De acordo com o executivo, o compacto agradará tanto ao usuário que quer ser ecologicamente correto e abandonar os veículos à combustão quanto aos que pensam pura e simplesmente em economizar, já que a gasolina está cada vez mais cara.

“Vendemos um para um cliente que mora em Atibaia e ele vai economizar, só em gasolina, R$ 3 mil por mês. O E-JS1 tem 300 quilômetros de autonomia. Isso significa que você vai gastar R$ 6 de energia para rodar 100 quilômetros. Seria o equivalente a ter um carro que fizesse 100 quilômetros com um litro de gasolina. Para quem roda mil quilômetros por mês, vai gastar, no máximo, R$ 60. É muito pouco”, explica.

Nissan Frontier X-Gear chega ao Brasil por R$ 251.990

Nissan Frontier X-Gear 2021 marca o último ciclo do visual da picape – Foto: Divulgação

A Nissan anuncia o lançamento da Frontier X-Gear , versão que chega às concessionárias por R$ 251.990. A picape importada da Argentina vem ao Brasil para fazer a ponte entre os modelos XE e LE, como uma alternativa mais cara à Frontier Attack.

A Nissan anuncia o lançamento da Frontier X-Gear, versão que chega às concessionárias por R$ 251.990. A picape importada da Argentina vem ao Brasil para fazer a ponte entre os modelos XE e LE, como uma alternativa mais cara à Frontier Attack.

Dessa forma, o catálogo passa a ser formado pelos modelos S (R$ 199.990), Attack (R$ 226.490), XE (R$ 241.800), X-Gear (R$ 251.990) e LE (R$ 267.190). As mudanças do novo modelo na comparação com as versões já existentes estão no pacote de acessórios.

Assim como a Frontier Attack , a X-Gear recebe detalhes avermelhados e pretos na carroceria. As rodas aro 18 são as mesmas da versão XE, porém pintadas de preto.

As semelhanças com a versão XE continuam no pacote de equipamentos, onde a Frontier X-Gear recebe central multimídia com conectividade para smartphones, painel de instrumentos parcialmente digital e ar-condicionado digital de duas zonas. Os ajustes do banco do motorista são elétricos.

Montadoras: preço alto será mantido após pandemia

Comprar carro novo será um perfil de consumidor de poder aquisitivo maior – Foto: Divulgação

Já se perguntou se os preços altos, irreais, dos carros voltarão ao patamar do início de 2020 após a pandemia? Pois é, na realidade do mercado automotivo brasileiro há de se desconfiar que nada mudará e comprar carro novo será um perfil de consumidor de poder aquisitivo maior.

Ainda que ninguém saiba exatamente o que irá acontecer, lá fora, BMW e Daimler já dão uma ideia do que vem por aí e, acredite, a perspectiva não é nada boa…

Se o problema fosse somente a pandemia, com o fechamento de fábricas e do mercado por conta da contaminação, talvez não fosse assim tão grave a situação do setor automotivo. Talvez…

Mas, a falta de chips e outros componentes, está lançando a indústria automotiva mundial em rota de colisão com os consumidores. Pelo menos as massas, que na falta de carros novos, lançaram-se nos usados.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email