J.P. Morgan e XP mais parceiras

J.P. Morgan Asset Management e XP Inc. ampliam parceria para oferta de fundos de investimento, visando otimizar a diversificação internacional. As casas trazem ao Brasil duas estratégias de renda variável de sucesso no exterior, e inovadoras no Brasil – a primeira delas com foco no crescimento da China, e a segunda pensada para incorporar a relevância de aspectos ESG (Environmental, Social and Governance) nas carteiras de investimento.

“Existem diversas oportunidades de investimento no exterior e optamos por trazer ao Brasil temas de grande relevância e repercussão no cenário global, comenta Giuliano De Marchi, responsável pelo J.P. Morgan Asset Management na América Latina. “Por muitos anos, os juros altos no Brasil não estimularam os investidores a buscar oportunidades fora do país, uma vez que era possível obter retornos atrativos e com baixo risco no mercado doméstico. Isso não é mais o caso e a alocação internacional veio para ficar”, reforça Fabiano Cintra, responsável por fundos internacionais na XP.

Os novos fundos de investimento locais, constituídos e distribuídos pela XP, acessam veículos do J.P. Morgan domiciliados em Luxemburgo. Os investidores no Brasil ainda contam com a praticidade de escolherem entre estruturas com hedge ou sem hedge cambial.

Sobre as estratégias, tanto J.P. Morgan como XP enfatizam a relevância dos temas. “A China é hoje uma superpotência econômica e um dos mercados mais desejados por investidores do mundo inteiro, inclusive do Brasil. Não dá pra negligenciar as oportunidades que existem na China, por isso tantos investidores brasileiros têm incorporado o tema nas carteiras”, observa Fabiano Cintra.

“O fundo global investe no mercado doméstico de ações na China, conhecido como China A-shares. Este é o segundo maior mercado de ações do mundo, e ainda pouco explorado por investidores internacionais. Com mais de 3.700 ações listadas, o China A-shares é amplo, oferece liquidez e potencializa a diversificação de investimentos em setores como tecnologia, saúde e consumo”, comenta Giuliano De Marchi. 

A segunda estratégia trazida ao Brasil será focada em mercados acionários de países emergentes, selecionando as melhores oportunidades por meio da utilização de uma abordagem ESG. “Como investidores de longo prazo, acreditamos que as empresas que possuem preocupações ambientais e sociais e mantêm um alto grau de governança corporativa tendem a se destacar” comenta Cintra.

“Como gestores globais, percebemos que o interesse de investidores no mundo todo por estratégias ESG tem crescido significativamente e que o tema passou a ser uma prioridade para muitos clientes. Globalmente, são mais de 30 trilhões de dólares investidos em estratégias sustentáveis. Nosso foco é sempre alinhar retorno financeiro e impacto positivo para o meio ambiente e sociedade”, conclui Giuliano.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email