Isolados com os nossos amiguinhos

Em tempos de isolamento físico muitas pessoas estão pensando em adotar um animal de estimação para ter afeto e companhia . Porém, é de extrema importância ter em mente que tal ato deve ser feito de forma consciente, afinal, o pet é um compromisso de longa data e necessitam de tempo, atenção, e investimento por parte dos donos. 

A médica veterinária Angela Hughes, da Mars Petcare, separou 10 dicas de como a adoção pode ser feita da melhor forma possível, não prejudicando você, nem o bichinho.

  1. Pesquise sobre o animal e veja se ele é compatível com o seu estilo de vida e perfil familiar. Assim, todos conseguirão se encaixar no novo ambiente.
  2. Quanto menor é a casa, menor deve ser o cão. Cachorros grandes, em um ambiente pequeno, podem ter problemas de adaptação. Isso não fornecerá a melhor qualidade de vida para o animal. 
  3. Os filhotes requerem cuidados veterinários mais frequentes e precisam de mais atenção em comparação com animais adultos. Ao voltar para sua rotina normal, você terá o tempo e a disposição que um filhote necessita? Se a resposta for não, talvez um animal mais maduro seja o seu companheiro ideal. 
  4. Considere que o tempo médio de vida de um animal é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. 
  5. Caso já tenha outros cães em casa, apresente o novo morador de forma gradual e fique sempre atento à convivência.
  6. Mantenha o pet sempre dentro de casa, jamais solto na rua. E na hora do passeio, leve-o com uma coleira que contenha a plaquinha de identificação.
  7. Evite as ninhadas indesejadas. Castre machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contraindicações.
  8. Todo pet precisa de alimentação de qualidade, que leve em conta suas necessidades, e muita água fresca e limpa. Seu bem-estar também depende de uma boa nutrição.
  9. Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o.
  10. Zele também por sua saúde psicológica. Dê atenção, carinho, ambiente adequado e reserve um momento do dia para as brincadeiras .

Se você está consciente de todas as dicas e deseja continuar, a veterinária ressalta que há muitas coisas boas que o animal pode trazer. "Agora, em casa, temos a oportunidade de entender melhor as expressões faciais e a linguagem corporal de nossos animais de estimação. Portanto, use esse tempo para observar e aprender mais sobre eles. Além disso, há mais tempo para colher os benefícios de cuidar e acariciá-los, o que ajuda a aliviar sentimentos negativos como o estresse e a ansiedade", afirma Angela.

Fonte: Redação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email