Iranduba ganha usina de beneficiamento

Uma moderna indústria de beneficiamento da borracha será instalada no município de Iranduba, devendo gerar nos próximos cinco anos cerca de 10 mil empregos indiretos. O investimento está sendo feito pelo empresário e deputado acreano, Mazinho Serafim (PSDB), 40. Ele e representantes do governo do Estado e da prefeitura de Iranduba estiveram durante a semana reconhecendo a área onde será construída a usina que terá capacidade para processar, inicialmente, 300 toneladas por mês da matéria-prima destinada à fabricação de pneus de bicicleta e motocicleta pela Levorin Pneus em Manaus.
O empresário e parlamentar da Assembleia Legislativa do Acre atua no ramo há 20 anos e é cliente do Amazonas pelos menos há 8 anos, quando começou a comprar a borracha oriunda dos seringais dos vales do Juruá e Purus. ”Estou aqui, a convite do governador Eduardo Braga para montar uma indústria de beneficiamento de borracha. Compro 80% da produção do estado do Amazonas”, disse, acrescentando que o Acre a aquisição supre a deficiência de produção acreana.
O projeto orçado em R$ 5 milhões vai processar, inicialmente, a partir de abril de 2010, em torno de 300 toneladas de borracha por mês cuja produção será entregue para a fabricante de pneus Neotec unidade fabril filiada da Levorin. “Vamos entregar essa produção de borracha processada para a fabricante de pneus”, assegura o empresário.

Produção externa

Para atender a demanda da Neotec, seria necessário beneficiar uma produção de 500 toneladas de borracha bruta/mês. Hoje, a capacidade do Amazonas é de 100 toneladas mês. O deputado garante que o Estado tem essa produção mas grandes áreas ainda estão desativadas. Para atender a demanda assumida com a empresa paulista, o Estado vai comprar o produto dos estados de Rondônia e Mato Grosso.
“De início agora, para entregar essa borracha a Levorin, vamos comprar do Acre, Rondônia e Mato Grosso para beneficiar na nossa usina aqui, no Amazonas, município de Iranduba”, frisou.
Para o diretor-presidente da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), Valdelino Cavalcante, além do emprego que vai gerar, em torno de 100 postos diretos e 3.000 indiretos, a instalação da usina vai incentivar o aumento da produção local e em cinco anos atender 100% da capacidade que é a produção de 500 toneladas de borracha bruta.
O projeto já está em andamento no município de Iranduba cujo prazo para funcionar é de cinco meses, devendo em abril estar pronta já que a Neotec deve iniciar o processo de produção no início do segundo semestre de 2010. Segundo o deputado, os investimentos contam com uma contrapartida privada e outra, financiada pela Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email