Investimento em indústria 4.0 no PIM em pauta

Com o objetivo de mostrar às empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus) a importância de introduzir tecnologia no processo produtivo, o INDT (Instituto de Desenvolvimento Tecnológico) realiza hoje, às 15h, o Webinar INDT. No evento online será apresentada uma metodologia para viabilizar a adesão à novas tecnologias e promover a transição das empresas para o modelo da Indústria 4.0. O projeto é uma parceria com a Schneider Electric que conta a participação da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus).

O evento é uma oportunidade de conexão com experts, empresas, empreendedores, investidores e startups, para conhecer boas práticas e tendências tecnológicas que estão redesenhando o mercado digital. A pauta da discussão do evento apresenta os conteúdos mais relevantes de áreas-chave da Economia Digital. Vai ajudar interessados a identificar oportunidades para a sua empresa, além de ajudar a fortalecer a sua formação acadêmica. 

Os participantes conhecerão o passo a passo do processo, desde a análise completa do nível de maturidade tecnológica à implementação, com a possibilidade de aplicação de tecnologias de Automação, Inteligência Artificial, Big Data e Internet das Coisas. A discussão contará com a presença de interlocutores locais e nacionais do ecossistema de pesquisa, desenvolvimento e inovação, como o Superintendente da SUFRAMA, General Algacir Polsin, o diretor executivo do INDT, Geraldo Feitoza, o professor da UFAM (Universidade Federal do Amazonas), Dr. Sandro Breval, e os executivos da Schneider‑Eletric Brasil, Carlos Urbano, Diretor de Industry Automation, e Bruno Santos, Product Manager, que vão apontar caminhos efetivos para promover o próximo salto tecnológico do parque industrial.

De acordo com o diretor executivo do INDT, Geraldo Feitoza, a Indústria 4.0 chega com o objetivo de disseminar novos princípios e tecnologias e promover ganhos de eficiência e competitividade expressivos, atraentes e cada vez mais urgentes no mercado global.

“O mundo passa por grandes mudanças e a quarta revolução industrial vai exigir que as empresas passem por um processo de transformação digital com a entrada de novas tecnologias no mercado. É muito importante que nesse momento de transição as indústrias se preparem paras mudanças de tecnologia que acontecerão nos próximos anos”, disse.

Segundo o INDT, atualmente, a grande maioria das empresas brasileiras ainda está no patamar de indústria 2.0 e muitos desafios ainda precisam ser superados. O fato é que as companhias brasileiras não têm planejamento e ainda deixam a desejar em termos de infraestrutura para poder receber as tecnologias disruptivas da Indústria 4.0, o que representa um abismo em relação a outros países.

“Hoje, o custo Brasil de mão-de-obra e a concorrência de fornecedores externos (China) faz com que a indústria nacional tenha que se reinventar no médio prazo para conseguir resultados e gerar lucro. E a adesão à Indústria 4.0 precisa ser acelerada para que o país não perca o potencial dessa promissora onda tecnológica”, reforçou Geraldo Feitoza.

Na análise do doutor em engenharia da produção e professor da UFAM, Sandro Breval Santiago, as empresas precisam introduzir as tecnologias (informação e automação) no seu processo produtivo, considerando os ganhos de capacidade e eficiência, porém buscando potencializar a sua cadeia de valor.

“De um modo geral as empresas têm investido no controle e automação, coleta de dados fabris e automação mas com baixo impacto na sua responsividade. O processo de transição para a manufatura avançada impactará no custo brasil, no instante em que as empresas exponenciar a sua capacidade produtiva e eliminação de gargalos por meio da tecnologia”, disse.

Investimento

Segundo dados da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial ), nos próximos 15 anos, o investimento na indústria 4.0 deve movimentar US$15 trilhões, mas somente 2% das organizações brasileiras já efetuaram a transição para este modelo. De acordo com Sandro, as empresas do PIM apresentam características muito desiguais, seja na gestão e no processo, como nas tecnologias utilizadas. Ele explica que esse fato foi demonstrado no inédito mapeamento da indústria 4.0 no Polo Industrial de Manaus de outubro 2019, onde utilizado a metodologia e plataforma PIMM4 (plataforma que permitem o mapeamento do nível de maturidade e prontidão das empresas) elaborada por ele. 

“O cenário atual demonstra algumas importantes iniciativas no âmbito da manufatura e na logística, a exemplo do uso da internet das coisas no processo produtivo, inteligência artificial , modelagem digital para medição das capacidades e veículos autônomos guiados que transportam materiais na planta industrial. As inúmeras iniciativas podem credenciar o PIM para o novo momento da Revolução Industrial. Acreditamos que a indústria 4.0 será uma importante ferramenta para a perenização de nosso polo industrial”, explica Sandro.

Serviço

O que: Webinar INDT – “Como fazer a transição de sua indústria para a Manufatura 4.0”

Quando: Terça-feira (29/09/2020)

Horário: 15h às 16h30 (horário Manaus), 16h às 17h30 (horário Brasília)

Transmissão: Canal do INDT Oficial no YouTube

Inscrição: http://bit.ly/industria40_INDT 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email