Investidores de Manaus apostam em aplicações de risco financeiro

O período de reservas para a oferta de ações da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) teve início na última segunda-feira e se estenderá até o próximo dia 27. A nova ação, negociada sob o código “BMEF3”, tem previsão de estrear no pregão a partir do dia 30 deste mês com a faixa de preço das ações oscilando entre R$ 14,50 e R$ 16,50. O valor definitivo para a oferta pública, entretanto, será conhecido apenas na quarta-feira, 28.

No entendimento do analista econômico Marcos Crivelaro, professor doutor da Fiap (Faculdade de Informática e Administração Paulista), o período de ofertas é um bom momento para adquirir papéis da BM&F, já que o investimento mínimo para reserva de ações é de R$ 5.000, enquanto as aplicações por varejo alcançam o teto de R$ 300 mil.

O especialista explicou ainda que a oferta das ações pode significar aos investidores uma oportunidade razoável de retorno financeiro, cujo volume ficará muito próximo a 50% ou 60% do valor aplicado.

Os investidores de varejo, de acordo com Crivelaro, serão classificados em com ou sem prioridade de alocação. Já o investidor comum deverá optar no momento de sua reserva na opção ‘com’ prioridade. Segundo o especialista, os papéis da BM&F prometem superar os bons resultados apresentados pelas ações da Bovespa Holding, cuja valorização ultrapassou os 50% logo nas primeiras horas de negociações em sua estréia, no fim de outubro.

“A dica é aplicar de R$ 10 mil a R$ 20 mil nesse investimento, que é de risco, mas que oferece a oportunidade de altos ganhos, que podem atingir 100% logo no primeiro mês”, aconselhou Crivelaro.

Baixa de juros amplia fundo

Na opinião do empresário Rodolfo Lima de Jesus, um dos fatores que tem ajudado a atrair o interesse dos investidores amazonenses por aplicações no varejo do mercado acionário é o processo de queda das taxas de juros, que encolheu o retorno oferecido por fundos como os de renda fixa e os DIs (depósitos interfinanceiros).

Embora não tenha revelado quanto aplicou na Bolsa, o empresário esclareceu que o momento virtuoso pelo qual atravessa a Bovespa e a BM&F também acaba favorecendo o movimento. “Os fundos de renda fixa tiveram ganhos em torno de 10% neste ano, enquanto a poupança ficou nos 7%, além do que o índice Ibovespa (principal referência da Bolsa) já acumulou até outubro uma valorização superior a 44%”, explicou o investidor.

A educação financeira voltada para investimentos na Bolsa parece de fato dar seus primeiros passos rumo a implantação definitiva da cultura por aplicações no Amazonas. Nesse sentido, uma das ações previstas é o workshop Aprenda a Investir na Bolsa de Valores, organizado pela BPW-MAO (Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de Manaus) para o dia 27 deste mês, no auditório Belarmino Lins, da Assembléia Legislativa, onde são esperados 300 convidados.

Segundo a presidente da BPW, Grace Benayon Zamperlini, a meta da entidade é lançar o Clube de Investimentos da BPW Jovem para adesão imediata de pelo menos 40% do público convidado ao workshop. A executiva explicou que a partir de R$ 50 qualquer investidor comum com idade até 35 anos poderá aplicar na Bolsa através desse clube de investidores jovens, que está sob a tutela da Spinelli Corretora de Valores.

“Os novos investidores poderão acompanhar a movimentação das ações diretamente com o Home Broker Spinelli (instrumento que permite o envio de ordens de compra e venda de ações através da internet)”, explicou a presidente.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email