Intermediação de mão-de -obra em queda de 14% no Sine

O Sine-Am (Sistema Nacional de Emprego no Amazonas) continua apresentando decréscimo na intermediação de mão-de-obra, que nos primeiros oito meses deste ano caiu 14% em relação ao mesmo intervalo do ano passado, mesmo num período em que o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontou elevação na geração de empregos no Estado.

A instituição, que conta com um total de 56 mil inscritos, só conseguiu inserir 2.491 pessoas no mercado de trabalho neste ano, número inferior aos 2,9 mil colocados nas organizações no mesmo intervalo de 2006.

Nem mesmo os investimentos em cerca de 200 mil na disponibilidade de um banco de dados on line dos currículos de cada candidato surtiu efeito positivo no processo de inserção de mão-de-obra junto as empresas locais.
Segundo o secretário executivo da Setraci (Secretaria de Trabalho Emprego e Cidadania), Adilson de Carvalho Cavalcante, o uso do site ainda é pouco utilizado pelas empresas de Manaus. “O serviço é novo e ainda temos poucas empresas que fazem o uso dessa ferramenta de trabalho, sendo assim, a maior parte de nossa inserção de mão-de-obra ainda é feita com a visita de nossa equipe até às organizações”, disse.

Carvalho justificou os baixos resultados da instituição ao trabalho desenvolvido pelas empresas privadas na área de recursos humanos.

Segundo o secretário-executivo, o serviço dessas empresas oferece vantagem econômica para quem as utiliza. “O funcionário contratado por essas agências ganha muito menos do que realmente deveria receber, pois é permitido que elas insiram um trabalhador no mercado por menos do piso salarial, então, para o empregador é vantajoso contratar mão-de-obra nessas condições”, explicou o secretário.

Nem mesmo nesse segundo semestre, quando as atividades econômicas começaram a apresentar crescimento, os números da instituição não apresentaram melhora. Em agosto, o total de mão-de-obra inserida no mercado de trabalho apresentou uma queda de 39,94%, quando houve a contratação de apenas 393 pessoas, ante os 550 contratados no mesmo mês do ano passado.
Em relação aos beneficiados pelo seguro desemprego, os números também podem ser negativos quando considera-se que houve aumento no total de habilitados ao recebimento desse beneficio, ou seja, mais pessoas demitidas.

De acordo com dados do Sine/AM, entre os meses de janeiro a agosto houve um aumento de 6% no número de pessoas habilitadas ao recebimento do seguro desemprego, variando do total de 41.067 beneficiados em igual período de 2006 para 43.711 neste ano.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email