Interior do Amazonas recebe ajuda da Coca-Cola Brasil

As famílias produtoras de guaraná, em 14 municípios do Amazonas, estão recebendo cestas básicas e kits de higiene. O apoio a essas famílias faz parte das ações de combate à Covid-19 realizadas pela Coca-Cola Brasil desde março. No início deste mês um aporte financeiro de R$ 3 milhões foi destinado pela companhia para o Amazonas. O recurso é destinado para a compra de 34 mil cestas básicas e 8,5 mil kits de higiene.  

O aporte também está chegando para famílias ribeirinhas e indígenas em outros 11 municípios. A estimativa, com esse recurso, é beneficiar aproximadamente 330 mil pessoas em situação de vulnerabilidade na capital e no interior.  

O agrônomo e especialista em agricultura no Amazonas da Coca-Cola Brasil, João Carlos Santos, explica que os recursos vão chegar para todas as 365 famílias que comercializam o fruto para a companhia. As famílias produtoras de guaraná estão nos municípios de Urucará, São Sebastião do Uatumã, Apuí, Novo Aripuanã, Maués, Manacapuru, Borba, Itapiranga, Silves, Canutama, Parintins, Autazes, Presidente Figueiredo e Iranduba.  

“O aporte financeiro foi destinado para as associações e cooperativas de guaraná que já atuam conosco nesses municípios. 100% do recurso é destinado para a compra dos produtos e para a logística de entrega. Dessa forma o benefício chega mais fácil para essas famílias. Sem contar que faz a economia do município girar, pois as cestas são compradas na própria cidade e confeccionadas de acordo com a necessidade das famílias em cada região”, destaca João Carlos. 

Em Urucará, Canutama, Apuí e Parintins boa parte das famílias produtoras do fruto já receberam as cestas. Segundo o presidente da Cooperativa Agrofrut de Urucará, Antônio Carlos, 600 famílias foram contempladas no município. Em Canutama, foram 100 famílias beneficiadas, de acordo com Cooperativa Aprogah.  

No município de Apuí, conta João Carlos Santos, os produtores de guaraná optaram por repassar as cestas exclusivamente para a comunidade. “A cooperativa e os cooperados decidiram que as cestas deveriam ser distribuídas na comunidade para ajudar outras famílias que não trabalham com o guaraná e que nesse momento delicado estão sem renda”, relembra.  

Em outros municípios os produtores de guaraná também buscaram contemplar outras famílias como forma de ajudar a comunidade. “Essas famílias não plantam guaraná, mas fazem parte da cadeia de valor do município, independente delas cultivarem o fruto. Em algum momento um filho, o marido ou a esposa vai participar do processo sendo contratado para limpar o terreno ou para a fazer a colheita do fruto junto as famílias produtoras de guaraná”, explica João Carlos Santos.  

Muitas dessas famílias não produtoras de guaraná, segundo a secretária cooperada da Aprogah, Nelde Anacleto Chaves, em Canutama, estavam passando por privações. “Nos deparamos com muitas situações delicadas. Em uma das entregas a família beneficiada, que não produz guaraná, nos falou que naquele dia já não tinham mantimentos para uma nova refeição e que a cesta que levávamos iria salvar a família”, comenta.  

Ações para minimizar os impactos da pandemia     

São quase 30 anos de atuação da Coca-Cola Brasil na região, desde a instalação da Recofarma no Polo Industrial de Manaus. Além de decisões baseadas em empatia e solidariedade, a companhia acredita na força da atuação conjunta para fazer a diferença. Desde março, a companhia se uniu a parceiros, empresas e organizações sociais, para ouvir o que as comunidades mais precisavam na capital e no interior e direcionar os recursos necessários para minimizar os impactos da pandemia no Estado.     

Os hospitais foram os primeiros a serem contemplados. A Recofarma, nossa fábrica de concentrados, no início de abril, doou ao sistema de saúde do Estado 40 mil litros de álcool etílico 70%. Em uma ação mais recente, em junho, uma nova doação foi realizada. Dessa vez o Estado recebeu 42 mil itens, entre máscaras, aventais e álcool em gel. Por meio do fabricante, o Grupo Simões, em parceria com a Coca-Cola Brasil, também foram doadas 96 mil garrafas de água mineral de 500 ml a hospitais em Manaus de referência ao combate ao coronavírus.   

Um fundo para beneficiar comunidades de baixa renda e catadores de resíduos também foi criado. Em Manaus, duas instituições do Coletivo Jovem dos bairros Zumbi, zona Leste, e Japiim, zona Sul, receberam, cada uma, a quantia de R$60 mil, totalizando R$120 mil. Os recursos foram investidos em ações de conscientização, prevenção do contágio com compra e distribuição de produtos de higiene, proteção e limpeza e segurança alimentar – compra de alimentos, bebidas e cesta básica. Esse recurso foi dividido em duas ações – maio e julho. Só na primeira ação foram beneficiadas 138 mil pessoas.   

Manaus e Presidente Figueiredo também foram contempladas com doações da companhia. Cerca de 15 mil cestas básicas foram distribuídas para essas localidades, também com o foco para populações vulneráveis.    

Os investimentos da companhia também chegaram para 15 comunidades na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, que compreende os municípios de Novo Airão, Iranduba e Manacapuru, e 14 na RDS Puranga Conquista. A companhia, por meio do o Instituto Coca-Cola Brasil, integra a Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus, coordenada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Outras 70 instituições e prefeituras também fazem parte. Juntas elas levam assistência básica às regiões do interior atingidas pela pandemia.     

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email