Intensificar a paixão pelo que se faz

A Revolução Industrial ini­­ciada na Inglaterra no século 17 intensificou a substituição do modo de produção doméstico pelo sistema fabril, utilizando-se das máquinas e abordagens mecânicas pa­ra a ascensão, diversifica­ção­ e reestruturação de em­pre­sas dos mais diversos seg­mentos, constituindo um processo de transformação acompanhado por notável evolução tecnológica.
Com este período, o profissionalismo começa a fazer parte do cotidiano e a paixão por determinadas atividades fortalece a necessidade de satisfação, motivação, vontade e desejo de trabalhar. Jun­tamente com esta estruturação surge a reflexão sobre a paixão em trabalhar, em estar invariavelmente apaixonado por suas atividades e escolha profissional.
Paixão na estrutura organizacional é percebida pela criatividade, pró-atividade, cordialidade, determinação e otimismo demonstrados pelos profissionais das mais­ diversas áreas em seu ­co­tidiano de trabalho. Sempre digo que todo profissional deve ser um apaixonado pelo que faz e encontra-se relacionado com felicidade e equilíbrio, pois ultrapassa o limite da motivação por estar diretamente ligado com as emoções do co­ração e o constante desejo de aperfeiçoamento.
Há quem acredite que felicidade não existe. Há quem acredite que a fe­licidade é construída e conquistada a cada dia, compreendendo que não é um estado ­constante, mas uma busca constante. O que é felicidade? Esta é uma pergunta que todas as pessoas procuram descobrir ao mesmo vivenciar. É um estado afetivo ou emocional de sentir-se bem ou sentir prazer pelo que se está ­desenvolvendo. Um ­acadêmico apaixonado pelo curso escolhido ­sente felicidade ao fazer novas des­cobertas. Por estarem apai­xonados, empresários, exe­cutivos, esportistas, pro­fis­sionais liberais demonstram a felicidade através de pequenos gestos, como um sorriso, um saudoso bom dia, ou mesmo, reconhe­cendo o esforço de um ­colega. O que traz felicidade? Um dia de sol, um cafezinho ou um chá após uma extensa reunião, o sorriso do filho que estava ansioso a sua espera.
A felicidade alcança sua extensão quando você dedica um pouco do seu precioso tempo às coisas que proporcionam a sensação de leveza, de reconhecimento, superação e bem estar.
Tenha certeza de que to­do o profissional de destaque planejou e continua realizando o planejamento de novas conquistas equilibrando vida pessoal e profissional. A qualidade de vida tem relação com o equilíbrio de suas emoções e ações, sem esquecer da presença do ­côn­juge, noiva, namorada, pais, filhos e amigos. Ob­serve que há pessoas que pagam um alto preço para alcançar os resultados esperados, mas esquecem de completar suas emoções com sentimentos de afeto, gratidão, valo­ri­zação e convivência familiar. Aliar o equilíbrio entre sua paixão pelo trabalho e o bem estar pessoal permite con­quistar resultados mais sa­tisfatórios.
É evidente que quando um profissional é apaixonado pelo que faz, cria gradativamente um processo in­­trospectivo de novas desco­bertas e auto-realização, não sendo um acomoda­do que somente reclama do salário que recebe, mas com determinação pessoal conjugada com a vontade de vencer, dedica parte de seu tempo para aprimorar seu desempenho, estudar e fortalecer suas competências.
Observe que a paixão pelo trabalho permite superar desafios, romper obstáculos e oferecer continuamente um trabalho diferencial, capaz de encantar as pessoas que estão a sua volta. Agora responda: Você é uma pessoa apaixonada pelo que faz?

DALMIR SANT ANNA é palestrante mágico, autor do livro “Menos pode ser Mais” (editora Odorizzi), mágico profissional, pós-graduado em Gestão de Pessoas e bacharel em Comunicação Social.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email