Integração comercial entre Brasil e Peru é reforçada na ALE por embaixador

A integração entre o Brasil e o Peru esteve na pauta da Aleam (Assembleia Legislativa) na manhã desta terça-feira (5), quando o presidente da Casa, deputado Ricardo Nicolau (PRP), e outros parlamentares receberam o futuro embaixador brasileiro no Peru, Carlos Alfredo Lazary Teixeira.
Lazary ainda não assumiu o posto oficialmente, mas já está reforçando laços com dos dois estados brasileiros que fazem fronteira com o Peru – Amazonas e Acre – por meio das visitas de cortesia às autoridades políticas e empresariais locais. Vários assuntos foram discutidos com os parlamentares durante a visita, como o estreitamento das relações comerciais, a formação de convênios e segurança e combate ao narcotráfico na fronteira.
No encontro, o presidente Ricardo Nicolau aproveitou para propor um encontro entre as lideranças brasileiras e peruanas para discutir sobre relações comerciais no Amazonas.
Na opinião de Nicolau, a integração entre os dois países é importante para a economia de ambos.
“Há muitas empresas brasileiras no Peru e a tendência é que as peruanas venham também a se instalar no Brasil”, defendeu o presidente, acrescentando que estreitar as relações bilaterais com países das áreas de fronteira também assegura fiscalização contra o tráfico de drogas.
Havendo o estreitamento dessa relação, Nicolau acredita que até a balança comercial do Estado pode melhorar, com o incremento das exportações do Polo Industrial de Manaus (PIM) para o Peru.
O embaixador Carlos Alfredo Lazary sugeriu que fosse criada uma frente parlamentar entre Brasil e Peru “para manter um canal aberto de diálogo com as forças políticas dos Estados do Amazonas e do Acre”.
“Os parlamentares têm um papel importante para desempenhar no aprofundamento e ampliação da relação Brasil e Peru em todos os aspectos”, defende Lazary.

Frente parlamentar

Na opinião do embaixador, a ALE tem a força política do Estado e o canal de diálogo entre as forças políticas, que é o que cria condições de discussão de todas as vantagens, bônus e ônus da integração.
“Facilita o encapsulamento dos problemas e suas dimensões específicas e por outro lado ajuda a trabalhar nas convergências”, assinalou.
O embaixador defende uma agenda positiva abrangendo as áreas econômica, comercial e cultural entre os dois países.
“Já visitei o Acre e agora o Amazonas para incorporá-los à Embaixada do Brasil no Peru”, disse, ressaltando ter todo o interesse em manter um canal aberto de diálogo com as forças políticas dos dois Estados da região Norte.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email