Indústrias de tubos, bombas e válvulas movimentam US$ 6 bilhões

Responsáveis pela movimentação de cerca de US$ 6.1 bilhões, em 2006, somente no Brasil, empresas dos setores de tubos de aço, bombas, motobombas, válvulas industriais, trefilação e laminação de metais ganham cada vez mais espaço no mercado. Inseridos nos mais variados setores da economia brasileira, esses segmentos estarão em foco, entre os próximos dias 2 e 4 de outubro, na Tubotech -Feira Internacional de Tubos, Conexões e Componentes. Em sua quarta edição, o evento já é considerado um dos três maiores do mundo no setor e será realizado no Centro de Exposições Imigrantes -Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5, em São Paulo, com visitação gratuita.
De acordo com Luciano Targiani, diretor da Tarcom Promoções, parceiro do grupo Cipa na organização e promoção do evento, a produção anual de tubos de aço é um bom exemplo de aquecimento do setor. “Nosso país tem capacidade instalada para produzir 3,3 milhões de toneladas/ano e potencial para atingir 4 milhões de toneladas/ano. Apenas no ano passado, a produção foi da ordem de 1,9 mi de toneladas, com faturamento de mais de US$ 3 bi. As exportações atingiram US$ 600 milhões e 436 mil toneladas vendidas. Entre nossos principais compradores estrangeiros estão Estados Unidos, América Latina, África e Oriente Médio”.
José Roberto Sevieri, presidente do grupo Cipa, destacou a abrangência desse setor. “Muitas pessoas acreditam que os produtos como tubos, bombas, válvulas e metais são importantes apenas para a construção civil, o que não é verdade. Os tubos, por exemplo, são utilizados para o transporte de petróleo, condução de fluídos como óleos, lubrificantes, água, gases, fabricação de móveis e até de bicicletas, entre outros”, afirmou.
A Tubotech, que apresenta um crescimento recorde de 80% em relação a última edição, em 2005, contará com um setor exclusivo para os expositores internacionais, vindos da Alemanha, Áustria, Canadá, China, Coréia, EUA, França, Grã-Bretanha, Índia, Itália, Malásia, Rússia, Taiwan e Ucrânia. “Pela primeira vez no Brasil, teremos máquinas e equipamentos europeus específicos para o setor. Antes, para ter acesso a esses produtos, essenciais para o desenvolvimento de suas empresas, o empresário era obrigado a atravessar o Atlântico e visitar as feiras da Europa em busca de alternativas tecnológicas, o que, além de ser um fator dispendioso, é de dinâmica lenta” explicou Targiani.
A feira, que é realizada pela Abitam (Associação Brasileira da Indústria de Tubos e Acessórios de Metal) com apoio da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), começou em 2003 com uma área de 2.100 m². A versão de 2007 contará com uma área de 22 mil m², praticamente dez vezes mais do que a primeira edição. O número de expositores também saltou de 150, em 2005, para mais de 300 confirmados para a feira desse ano, até o momento. “Esse crescimento mostra que o evento é positivo tanto para o expositor como para o visitante, e reflete diretamente o fortalecimento do setor” comenta Sevieri. A organização do evento estima um público de 12 mil pessoas.

Sinergia entre setores

Simultaneamente à Tubotech, serão realizadas outras quatro feiras de setores complementares: a Expobombas (Feira Internacional de Bombas, Motobombas e Acessórios); a Expoválvulas (Feira Internacional de Válvulas Industriais e Acessórios); a Metaltech (Feira Internacional de Trefilação e Laminação de Metais) e a Cobtech (Feira Internacional de Tecnologias em Coberturas para Edificações). “Os segmentos das cinco feiras se completam. Pretendemos, com isso, oferecer aos visitantes o maior número de informações em um único local, otimizando os negócios”, finalizou Sevieri.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email