7 de maio de 2021

Indústria do PIM amplia faturamento em outubro

O PIM elevou seu faturamento em 7,02%, na passagem de setembro (US$ 2.28 bilhões) para outubro (US$ 2.44 bilhões). Na comparação com a marca de 12 meses atrás (US$ 2.77 bilhões), contudo, ainda se mantém negativo em 11,91%. O desempenho também não foi suficiente para reverter as perdas da pandemia, já que as vendas não passaram de US$ 18.25 bilhões no acumulado dos dez meses iniciais de 2020, 17.83% abaixo do patamar registrado no mesmo intervalo de 2019 (US$ 22.21 bilhões).

Contabilizados em reais, os valores foram novamente mais animadores. O faturamento mensal totalizou R$ 14,09 bilhões, sendo 9,73% mais elevado do que o de setembro de 2020 (R$ 12,84 bilhões) e 26,82% superior ao de outubro de 2019 (R$ 11,11 bilhões). De janeiro a outubro, as vendas da indústria incentivada acumularam R$ 95,49 bilhões e subiram 9,71% ante igual período do ano anterior (R$ 87,04 bilhões). Os dados estão nos Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus e foram divulgados pela Suframa, nesta terça (29).

Considerado o desempenho acumulado em reais, os segmentos do PIM com desempenhos mais significativos foram os de bens de informática (R$ 25,08 bilhões e +25,87%), eletroeletrônico (R$ 24,58 bilhões e +5,86%), metalúrgico (R$ 7,84 bilhões e +16,94%), termoplástico (R$ 6,05 bilhões e +6,99%) e mecânico (R$ 5,92 bilhões e +18,15%). 

Vale notar que, na conversão por dólares, o faturamento foi positivo em apenas três dos 26 subsetores da indústria incentivada de Manaus, com destaque novamente para produtos alimentícios (US$ 109.97 milhões e +21,89%). Um diferencial veio do fato de que o segmento de bens de informática (26,11%) sustentou primazia sobre o de eletroeletrônicos (25,72%) nas vendas globais acumuladas do PIM. Na sequência, vieram “outros”(12,58%) e os polos de duas rodas (12,47%), químico (8,52%), metalúrgico (8,23%) e termoplástico (6,37%).   

Entre os principais produtos fabricados pelo PIM, os itens que mais se destacaram no somatório de janeiro a outubro de 2020 foram tablets (733.975 unidades e +131,67%), microcomputadores portáteis (500.760 unidades e + 73,55%), disco digital a laser gravado (6.314.488 unidades e +72,27%), artigos e equipamentos para a cultura física, tais como esteiras e bicicletas ergométricas (67.619 unidades e +32,69%) e aparelhos de barbear (1.493.904 unidades e +14,99%).

Mais contratações

As boas notícias também incluíram as contratações, que seguiram em alta em função da demanda reprimida pelo isolamento social e do aquecimento do setor para atender o varejo nas festas de fim de ano. Em outubro, o PIM registrou média de 95.690 postos de trabalho nas fábricas, entre trabalhadores efetivos, temporários e terceirizados. Houve queda em relação a setembro (95.875) – que foi o melhor número apresentado pelas indústrias incentivadas de Manaus em todo o ano. Mas, manteve alta de 2,32% na comparação com outubro de 2019 (93.522) 

A despeito da pandemia e de seus impactos econômicos, a média mensal de postos de trabalho no Polo Industrial de Manaus apresentada no acumulado dos dez meses iniciais deste ano (91.803) se manteve 2,77% acima do patamar apresentado no mesmo período de 2019 (89.328). Superou também as marcas de 2018 (87.408), de 2017 (85.880) e de 2016 (86.396), mas seguiu distante do número registrado em 2015 (107.681), ano inicial da crise econômica anterior. 

Em texto divulgado pela assessoria de imprensa da Suframa, o superintendente da autarquia federal, Algacir Polsin, considerou que os resultados globais do PIM contabilizados entre janeiro e outubro de 2020 foi positivo para o período, tendo em vista o “ano atípico” em razão da pandemia do coronavírus. “A Suframa continuará a focar na busca de melhores condições de negócios e na atração de novos investimentos para a região”, afiançou.

Vacinas e reformas

Em depoimento anterior sobre o desempenho da indústria amazonense em outubro, o presidente da Fieam, Antônio Silva, reafirmou que o setor vem respondendo ao desafio de recuperar as perdas da pandemia. Observou também que, embora o terceiro trimestre concentre a produção dos pedidos encomendados para o final do ano, parte do que foi produzido em setembro é faturado em outubro, impactando em um faturamento maior. O dirigente avaliou também que o nível de emprego está estável no Distrito Industrial de Manaus.

“Acho que as consequências desastrosas da covid-19 foram amenizadas em parte. Nossa previsão é que o PIM consolidará, em 2020, um faturamento de aproximadamente R$ 115 bilhões, com um crescimento de 10% em relação a 2019, mas deve haver uma queda de 17,31% em dólares, faturando US$ 21,87 bilhões. Quanto a 2021, depende fundamentalmente do combate à pandemia e também da continuidade da aprovação das reformas Tributária e Administrativa. Qualquer tipo de previsão carece de possibilidade de acerto, tendo em vista as variáveis muito incertas.  Isso, apesar de acreditar na garra das pessoas envolvidas capazes de feitos de resiliência. Temos de ser otimistas, novo ano, novas esperanças”, arrematou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email