Indústria de madeira vai gerar 98 empregos

A Indústria de Pisos da Amazônia teve seu projeto de R$ 14 milhões aprovado pelo Codam (Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas), na última quinta-feira, 25. A empresa vai fabricar artigos de madeira para o setor da construção civil em Iranduba (a 34 km de Manaus).Com isso, vai gerar 98 empregos. Por enquanto, o foco da fabricante é o mercado regional.

Para o governador Eduardo Braga, que presidiu a reunião, o projeto da pisos da Amazônia aponta para uma tendência de regionalização do Amazonas porque esse não é o primeiro projeto com este foco para o interior do Estado. Braga explicou que o projeto da empresa é um arranjo produtivo vesticalizado que vai utilizar madeira da região, uma atividade importante que vai gerar quase 100 empregos diretos dentro do polo. Segundo o governador, vai gerar um arranjo produtivo grande porque envolve pessoas tanto na extração de madeira como na elaboração dos planos de manejo. “Para cada emprego na indústria de pisos, teremos quatro”, assegurou.

O prefeito de Iranduba, Nonato Lopes, também considera o projeto importante para o desenvolvimento do município e arredores, tanto pelos empregos gerados como pelos negócios que irão surgir por conta da cadeia produtiva. Ele garantiu que esse é um dos grandes projetos que o município vai sediar que se somarão a outros previstos a partir do termino das obras da ponte sobre o Rio Negro, em construção. “Iranduba, assim como os demais municípios que estão na proximidades de Manaus vão ser contemplados com esta obra grandiosa”, assinalou.

Uma das novidades da reunião foi o anúncio da inauguração do entreposto da Zona Franca de Manaus em Uberlândia, Minas Gerais, no dia 8 de março. Dotado de 30 mil metros quadrados, o armazém irá armazenar produtos da ZFM (Zona Franca de Manaus), com suspensão de impostos.
O primeiro entreposto da ZFM já funciona em Resende, Rio de Janeiro, no entanto, o governador informou que estão previstos mais três: Goiás, Pernambuco e São Paulo.

Novos projetos

Na primeira reunião deste ano, o Codam aprovou uma pauta com 40 projetos industriais com recursos estimados em R$ 695 milhões e 1.831 postos de trabalho ao longo de três anos. Outro destaque da pauta foi o projeto da coreana Samsung para a produção de telefone celular com investimentos de R$ 367 milhões.

Da lista de 40 projetos aprovados na análise técnica da Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico), 12 foram de implantação (novos empreendimentos), 26 de diversificação (novas linhas industriais) e dois de atualização. Na produção de bens intermediários (componentes), um total de R$ 194 milhões e expectativa de geração de 638 vagas no mercado de trabalho. Entre os projetos para a produção de componentes o destaque foram os setores de informática e duas rodas. Este último aprovou três projetos da ordem de R4 63 milhões e com isso gerar 231 novos empregos diretos.

Os projetos de diversificação somam investimentos de R$ 486 milhões, enquanto que os de implantação alcançam a marcar de R$ 81 milhões. Os projetos para a produção de bens finais prometem gerar 1.193 empregos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email