Indústria de cartão de crédito projeta faturarR$ 287 milhões

Com a previsão de realizar 2,77 milhões de transações em setembro no Amazonas, a indústria de cartão de crédito projeta para este mês um faturamento de R$ 287 milhões no Estado, cifra 21,7% maior que a computada no mesmo intervalo de 2006. A estimativa foi divulgada ontem pela Itaucard e integra o estudo Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento, realizado mensalmente pela empresa.
No paralelo com setembro do ano passado, as operações com cartão devem ter alta de 19,5% no Amazonas, resultado de um aumento projetado de 17% no volume de plásticos utilizados no Estado, desconsiderando a base dos ‘cartões de loja’ (private label). Até o fim deste mês, as bandeiras que operam no Amazonas devem totalizar 1,64 milhão de unidades.
Ao informar a estimativa de crescimento, a Itaucard não divulgou os valores absolutos contabilizados pelas empresas em setembro do último ano, no Estado.
A alta prevista no faturamento da indústria de cartões no Amazonas é superior ao crescimento estimado em nível nacional, da ordem de 19,8%. Da mesma maneira, a compra média projetada para o Estado é 36,8% maior que o ticket médio nacional. “Enquanto no país a compra média efetuada com cartão de crédito deve ficar em R$ 76 no mês corrente, no Amazonas esse indicador ficará em R$ 104”, enfatizou o diretor de Marketing de Cartões do Itaú, Fernando Chacon.

Segundo o representante da Itaucard, o ticket de R$ 104 pago pelos consumidores no Estado demonstra que o valor médio de compras realizadas com plásticos aumentou 2%, em relação a setembro de 2006.
Para Fernando Chacon, o crescimento do volume de operações efetuadas com cartão revela uma migração dos pagamentos realizados à vista e com cheque para essa modalidade, que deixou de ser utilizada somente em aquisições de alto valor agregado.
“O cartão de crédito já é usado nos pagamentos do dia-a-dia, aqueles de pequeno valor como o pedágio e o estacionamento”, observou o executivo.
Outro fator que vem permitindo o aquecimento desse mercado, no entendimento do diretor, é o aumento da renda da população de baixo poder aquisitivo, que demonstra um acréscimo significativo na base de usuários.
Entretanto, o diretor de Marketing de Cartões do Itaú, salientou que as classes de alta renda continuam sendo o grande ‘filão’ das operadoras, visto que ao longo dos últimos anos desenvolveram o hábito de consumir com o cartão.

Cliente está usando mais de uma opção

Segundo Fernando Chacon, cada um dos 30,7 milhões de brasileiros usuários de cartão portam em média 2,9 unidades de bandeiras diferentes. “Dentre os motivos que explicam essa concentração, estão a possibilidade de trabalhar com datas de vencimento diferentes e os benefícios oferecidos pelas empresas”, afirmou.
Até o fim deste mês, as operadoras devem emitir 89 milhões de cartões no país (1 milhão a mais do que em agosto), dos quais 1,85% estão no Amazonas.
Conforme projeção da Itaucard, o mercado brasileiro de cartões de crédito vai registrar ao final de setembro um faturamento de R$ 15 bilhões, quantia que é 19,8% maior que o registrado em setembro de 2006. Esse montante será resultado de 199 milhões de transações a um valor médio de R$ 76,00.
No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o setor deve totalizar um faturamento de R$ 128,5 bilhões, ultrapassando em 20,2% o resultado comercial contabilizado no mesmo intervalo de 2006.
Com base nos indicadores da Itaucard, Fernando Chacon apontou que o faturamento da indústria de cartões sinaliza uma elevação de até 21% neste ano, no comparativo com o exercício passado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email