18 de abril de 2021

Índice de preços sobe 0,57% em abril

A inflação oficial usada pelo governo, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), voltou a acelerar, e teve em abril a maior taxa para o mês desde 2005 (0,57%), informou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

A inflação oficial usada pelo governo, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), voltou a acelerar, e teve em abril a maior taxa para o mês desde 2005 (0,57%), informou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em março, o índice havia registrado elevação de 0,52%
Em abril de 2009, a inflação havia sido de 0,48%. Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 5,26%.
Os alimentos subiram 1,45% em abril -a maior alta para o mês desde 2001-, contra variação positiva de 1,55% em março. A principal contribuição veio do leite pasteurizado, com alta de 7,43% em abril, inferior aos 8,03% de março. Em seguida, veio o feijão, que subiu 27,88% em abril.
Os produtos não alimentícios tiveram aceleração e registraram inflação de 0,31%, ante 0,22% em março. As principais influências sobre o indicador no mês passado foram os itens remédios, com reajuste de 2,22%, automóvel novo (1,04%) e vestuário (1,28%).
O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), calculado entre as famílias com renda mensal até seis salários mínimos, teve elevação de 0,73% em abril, ante 0,71% observados no mês anterior.
Nos 12 meses encerrados em abril, o indicador acumula elevação de 5,49%, acima dos 5,30% relativos aos 12 meses imediatamente anteriores.
A taxa de inflação na capital paulista apresentou desaceleração entre março e abril, conforme levantamento divulgado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). No mês passado, o ICV (Índice do Custo de Vida) medido pelo instituto registrou variação positiva de 0,22%, que representou uma desaceleração de 0,25 ponto porcentual ante a elevação de 0,47% de março.
Nos primeiros quatro meses deste ano, o ICV acumulou alta de 3,04%, já superior ao número do mesmo período de 2009, de 1,43%. Nos últimos 12 meses encerrados em abril de 2010, a taxa acumulada atingiu o nível de 5,70%, menor que o de 5,79% do período de 12 meses até março do mesmo ano.
De acordo com o Dieese, os aumentos mais expressivos na taxa mensal foram observados nos grupos Alimentação (0,75%) e Saúde (0,91%), que juntos responderam por 0,34 ponto porcentual no cálculo da taxa de abril. Em contrapartida, os grupos Transporte (-1,05%) e Equipamento Doméstico (-0,46%), colaboraram com um alívio de 0,18 ponto porcentual para o resultado geral do ICV do período.
Quanto aos demais grupos pesquisados pelo Dieese, foram observadas altas em Vestuário (0,54%), Recreação (0,43%), Educação e Leitura (0,39%), Despesas Pessoais (0,17%) e Habitação (0,04%). O grupo Despesas Diversas apresentou baixa de 0,05%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email