Indicadores sugerem início de recuperação da ZFM ante a crise

O PIM (Polo Industrial de Manaus) fechou o primeiro bimestre de 2009 com faturamento de US$ 2.797 bilhões, valor 37,86% menor do que o alcançado no mesmo período do ano passado (US$ 4.501 bilhões)

O PIM (Polo Industrial de Manaus) fechou o primeiro bimestre de 2009 com faturamento de US$ 2.797 bilhões, valor 37,86% menor do que o alcançado no mesmo período do ano passado (US$ 4.501 bilhões). Em reais, o faturamento foi de R$ 6,461 bilhões, resultado 18,02% inferior em relação ao mesmo período de 2008.
Na comparação mensal, o PIM demonstrou em fevereiro sinais de recuperação, registrando números de faturamento, exportações e mão-de-obra levemente superiores aos contabilizados em janeiro deste ano. O faturamento em fevereiro foi de US$ 1.404 bilhão (alta de 0,85%, se comparado com janeiro), enquanto as exportações atingiram US$ 65.547 milhões (crescimento de 14,32% ante o mês passado) e a mão-de-obra ocupada, entre efetivos, terceirizados e temporários, registrou 95.539 trabalhadores (aumento de 0,35% sobre o mês anterior).
Os indicadores de desempenho do PIM foram divulgados na última quinta-feira, 8, pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). As informações têm como base estatísticas fornecidas por 390 empresas das aproximadamente 420 pesquisadas. O parque industrial tem um universo de aproximadamente 550 fábricas incentivadas.
Segundo o superintendente em exercício da Suframa, Oldemar Ianck, os números apontam para a estabilização da queda e a retomada do crescimento. “A previsão era que tivéssemos um primeiro trimestre de dificuldades, mas o mês de fevereiro já foi melhor do que janeiro, o que mostra que a recuperação do Pólo veio antes do esperado”, afirmou Ianck. “Embora de forma ainda tímida, os números sinalizam a volta dos resultados positivos do Pólo Industrial. A expectativa é que em março os indicadores sejam ainda melhores”, completou.
No primeiro bimestre deste ano, o subsetor Eletroeletrônico (inclusive Bens de Informática) foi o que apresentou maior faturamento, com US$ 1.167 bilhão e participação de 41,74% no faturamento global do PIM. Em seguida, aparecem os subsetores de Duas Rodas (US$ 596.751 milhões e participação de 21,34%), Químico (US$ 359.046 milhões e participação de 12,84%), Metalúrgico (US$ 217.592 milhões e participação de 7,78%) e Termoplástico (US$ 188.874 milhões e participação de 6,75%).
Os cinco principais subsetores do PIM apresentaram no período desempenho inferior na comparação com os dois primeiros meses de 2008, mas nenhum se mostrou mais afetado pela crise econômico-financeira internacional do que o Polo de Duas Rodas. No balanço do bimestre, as fabricantes deste polo apresentaram quedas de 39,37% e 53,15% no faturamento (em R$) e na produção, respectivamente. A retração foi consequência, sobretudo, da diminuição no consumo ocasionada pelas maiores dificuldades no acesso ao crédito.
As expectativas para o Pólo de Duas Rodas, entretanto, são de resultados mais positivos a partir dos meses de março e abril.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email