Incubadora Supera apresenta 40 tecnologias

A Supera, Incubadora de Empresas de Base Tecnológi­ca, apresentou no anfiteatro da FEA (Faculdade de Economia, Administração e Contabi­lidade de Ribeirão Preto da USP), as quarenta primeiras tec­­­nologias prospectadas pelo Projeto IncPAR – Incubadoras em Parceria para o Desenvolvimento de Novos Negócios.

Com o apoio de mais quatro incubadoras de empresas de base tecnológica do Estado de São Paulo (CIE de São José do Rio Preto a Inagro Jaboticabal, a IEJ de Jaboticabal e a Incubadora Tecnológica de Botucatu), além da Supera, a equipe do IncPAR visitou as principais universidades e centros de pesquisa das quatro cidades para selecionar projetos inovadores que receberão o apoio para gerar novos produtos, serviços ou processos com viabilidade empresarial.

Os quarenta projetos envol­vem áreas diversas como bio­­­tec­­­­nologia, medicina, odon­­­tologia, farmacologia e agrono­­­mia. “Es­­­te é o maior projeto de pros­­­pec­ção de novas tecno­­­logias com o objetivo de gerar novos negócios a partir do que já foi realizado no interior de São Paulo”, destacou o gestor do projeto, Marce­­lo Ma­­çonet­­­to, coordena­dor de negócios da Supera.

“Nos­­­sa equipe técnica de campo percebeu um aumento no interesse dos pesquisadores pe­­­­­­­­la geração de novos negócios e uma grande quantidade de pes­­­quisas com potencial econô­mico nos laboratórios das universidades e centros de pes­quisas”, completa.

O projeto, que irá selecionar mais 40 tecnologias em 2008, recebeu recursos no valor de R$ 674.352 da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), órgão de fomento vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia. Das tecnologias seleciona­das para a primeira fase do pro­­jeto, nove são de pesquisadores­ de Botucatu, quatro de São Jo­­­sé do Rio Preto, quatro de Jabo­ticabal e 23 de Ribeirão Preto.

Os projetos receberão consultoria durante 10 meses para a realização de um Plano de Negócios, que compreende o levantamento da viabilidade econômica e a mensuração do potencial de mercado das tec­­nologias. Os empreendedores poderão participar de ro­da­­­­das de ne­­gócios para a transferência de tecnologia ou para alavancar investimento para abertura da sua própria empresa.

Equipamentos selecionados

Entre os projetos seleciona­dos estão equipamentos como um aparelho detector da cor dos dentes, o que hoje é feito de forma empírica. O protótipo, de um pesquisador de Ribeirão Preto, já está em construção e aplica tecnologia de fibra ótica. Outro equipamento que está sendo desenvolvido por um pesquisador da USP é um cortador de guta-percha, aparelho que corta a resina utilizada no tratamento de canal substituindo a lâmina aquecida no álcool líquido, suscetível a acidentes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email