INADIMPLÊNCIA – Índice mais baixo traz otimismo

Manaus fechou o ano com o índice de inadimplência em 3,2% segundo informações da CDL- Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus). O número é 0.8 ponto percentual inferior aos 4% de inadimplentes registrados em dezembro de 2011.
O presidente da entidade, Ralph Assayag, comemorou a redução do índice. “A maior quantidade de consumidores habilitados para a compra foi o que proporcionou, inclusive, uma ótima movimentação do comércio, estimada em 7%”, informou.
Para Assayag, a campanha de recuperação de crédito “Limpe o seu crédito e faça o seu nome brilhar” foi um dos motivos para a redução. A campanha retirou aproximadamente 50 mil manauaras das listas do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), entre outubro e novembro de 2012
Porém, segundo ele, apenas o resultado da ação não justifica a melhora dos índices. “A campanha é realizada todos os anos. O que mudou foi o cenário econômico e uma maior conscientização das pessoas”.
Para o economista Francisco de Assis Mourão Junior, o índice menor demonstra que os consumidores, conforme o previsto anteriormente pelos especialistas, direcionaram boa parte do 13º salário para o pagamento de dívidas. “Sobretudo, a primeira parcela”, reforçou.
Cerca de R$ 600 milhões foram destinados ao pagamento da primeira parcela do 13º salário entre funcionários de órgãos públicos e empresas privadas. Desse total, o Corecon-AM (Conselho Regional de Economia do Amazonas) estimou no final de 2012 que devido às circunstâncias de endividamento do consumidor, apenas 20% do total injetado, ou seja, tenha sido destinado às compras no comércio e 80% tenha sido direcionado para o acerto de contas com o SPC e outra entidades de cobrança.
Ele diz que o índice ainda está longe do ideal, mas já é um começo. De acordo com a CDL-Manaus a estimativa é de que 370 mil amazonenses continuem devendo o setor.

2013

Para 2013, as perspectivas de Ralph Assayag são positivas para uma redução da inadimplência e para o comércio. “Esperamos uma retomada nos empregos e o aumento do salário mínimo já no primeiro dia do ano também é um alento para o setor. Com o emprego garantido, a possibilidae de pagamento das dívidas também cresce”, resumiu.
O presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ismael Bichara, diz que a tendência para 2013 é de que o grau de inadimplência sofra ainda mais reduções.
“Temos um cenário no país que conta com juros mais baixos, um menor índice de desemprego, ou seja, mais estabilidade e uma confiança maior do consumidor. Ele já consegue contrair dívidas mas também pagá-las com menos dificuldade”, avaliou.
Para Mourão Junior, apesar da boa perspectiva, um cuidado especial deve ser dado aos primeiros meses do ano. “O consumidor já adquiriu uma série de dívidas de cartão de crédito por conta do Natal. A precaução deve ocorrer para que essas dívidas não sejam somadas a gastos de início de ano como mensalidades e materiais escolares e o pagamento de impostos. Vale lembrar que no início do ano, alguns gastos importantes estão aumentando , como o preço dos combustíveis por exemplo, e a mudança na tabela do IPVA. Tudo isso pesa no bolo do contribuinte. Por isso, o planejamento financeiro é o mais importante”, lembra.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email