Inadimplência entre participantes do MEI é expressiva no Amazonas

A inadimplência do MEI (Microempreendedor Individual) no mês de outubro deste ano, no estado do Amazonas foi de 68,9%, a mais alta do Brasil, segundo dados da Receita Federal. Conforme dados da Receita em setembro de 2019, cerca de 76.300 MEIs  tiveram o cadastro ativo, desse total, cerca de 23.696 efetuaram o pagamento do DAS em outubro. 

Para a gerente de planejamento do Sebrae-AM (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Socorro Correa,  o principal fator para a inadimplência é o próprio desconhecimento. Por saber que o MEI possui um tratamento diferenciado para sua abertura e exercício, o empreendedor acaba achando que a declaração de IRPJ do MEI não é obrigatória. Pelo fato da não obrigatoriedade da emissão de nota fiscal para pessoas físicas, o empreendedor também acaba achando que isso é um motivo da não declaração.

Ela explica que ao deixar de apresentar a declaração anual até a data máxima, haverá a cobrança de multa e o MEI ficará impedido de gerar a DAS, documento de pagamento mensal obrigatório pelo MEI, ficando, ainda, inadimplente com o Simples Nacional.

“Poderá perder eventuais benefícios, dentre os quais os previdenciários.Por estar inadimplente junto à Receita Federal, não poderá conseguir a certidão negativa desse Órgão, o que o impede de conseguir financiamento bancário, por exemplo”. De acordo com a gerente, alguns bancos oferecem linha de crédito para MEI e esses MEIs perdem a oportunidade de acessar essa linha de crédito porque estão inadimplentes.

Em matéria publicada no Jornal do Commercio, o analista técnico do Sebrae-AM,  Daniel Azevedo, disse que dos 68 mil MEIs do Amazonas, apenas 19 mil, ou 30%, haviam feito a declaração do Imposto de Renda 2019. Os restantes 49 mil estão com os pagamentos mensais de imposto, no valor de R$ 53,70, em atraso.

“O Amazonas é o Estado mais inadimplente do país e estamos tentando reverter essa situação, inclusive ligando para os MEIs e informando sobre sua situação e como é fácil resolvê-la quitando, também de forma bastante prática, seus débitos”, completou.

Ano passado, 1,3 milhão de empresas tiveram seus registros cancelados por inadimplência e não cumprimento das regras.

“Mais da metade dos MEIs, no Brasil, não faz controle financeiro. Todo o dinheiro que entra, ele, ou ela, mete no bolso e vai gastando sem lembrar que têm contas para pagar, por isso o foco deste ano da Semana do MEI é exatamente sobre essa questão de o empreendedor não saber gerir seu negócio. O empreendedor precisa aprender a fazer o fluxo de caixa e controlar receita e despesa. São coisas simples, porém, muito importantes para o sucesso do seu empreendimento, e que ele mesmo pode fazer”, revelou.

Levantamento

Dados de uma  pesquisa do GEM (Global Entrepeneurship Monitor) e são similares aos revelados por levantamento realizado pela BizCapital, dedicada a empréstimos para empreendedores, nova parceira da startup Azulis. indica que o empreendedorismo ganha cada vez mais espaço no Brasil, especialmente entre os jovens. São cerca de 52 milhões de donos de negócios próprios por todo o território nacional e aproximadamente 22% deles têm entre 18 e 24 anos, faixa etária com a maior taxa de desemprego no país.

O estudo da fintech, que oferece empréstimos de R$ 5 mil e R$ 150 mil, revela que 31% de seus clientes que buscam crédito para empreender são jovens entre os 18 e 34 anos e 72% das solicitações partem de homens. A empresa identificou, ainda, aumento de 127% nos pedidos, de janeiro a dezembro de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado.

Outros dados revelados se referem aos setores que mais solicitam créditos. O varejo lidera o ranking, com 25%, seguido de serviços de alojamento e gastronomia, com 8%, e serviços administrativos, com 5%. As principais motivações incluem o desejo ampliar o capital de giro (35%), compra de equipamentos (15%) e aquisição de estoque (14%).

Segundo Francisco Ferreira da BizCapital, o resultado reflete a estratégia da empresa de facilitar e ampliar o acesso ao crédito para pessoas jurídicas. Como parte das ações da empresa para alcançar esse objetivo, o executivo ressalta a parceria com a Azulis, que acaba de lançar um comparador de empréstimos destinados a empreendedores. “Fazer parcerias com empresas que também estão preocupadas em fomentar as PMEs brasileiras são muito importantes para nós. Queremos potencializar os empreendedores com o capital que eles precisam para investir em suas empresas. Todo mundo ganha dessa forma!”

Daniel Miranda, gerente-geral da Azulis, que oferece soluções para autônomos, micro e pequenos empreendedores, acredita no potencial deste trabalho em conjunto, que visa descomplicar o caminho do empreendedor até a obtenção do crédito. “Ter dinheiro para investir em capital de giro para o negócio, especialmente nesta época de compra de estoques para o Natal e de contratação de funcionários temporários, na maioria das vezes exige um uma reserva que nem sempre está disponível e pedir em bancos tradicionais pode ser muito caro. Neste momento, contar com um empréstimo com taxas mais acessíveis, aprovação ágil e sem burocracias como o da BizCapital é uma ótima solução. Nosso papel é facilitar esse caminho, com um comparador que leva os donos de empresas a opções de crédito paras as quais eles têm mais chances de serem aprovados”, conta.

 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email