Inadimplência com cheques cai 1% até julho

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos a cada mil compensados recuou 1% na relação do acumulado dos sete primeiros meses de 2008 com o mesmo período de 2007 em todo o país. O Indicador Serasa de Cheques sem Fundos apontou que, no período de janeiro a julho deste ano, foram devolvidos 20,0 cheques por mil compensados, enquanto no acumulado até julho do ano passado houve 20,2 cheques devolvidos a cada mil compensados.
Nos primeiros sete meses do ano, 820,20 milhões de cheques foram compensados em todo o país, e 16,38 milhões foram devolvidos por falta de fundos. No mesmo período de 2007, houve 908,06 milhões de cheques compensados e 18,37 milhões de devolvidos.
Já na comparação de julho de 2008 com julho de 2007, de acordo com o indicador da Serasa, uma empresa do grupo Experian, houve um aumento de 4,2% no volume de cheques devolvidos a cada mil compensados. Em julho deste ano, foram devolvidos 19,9 cheques, por insuficiência de fundos, a cada mil compensados, contra 19,1 cheques devolvidos por mil compensados em julho de 2007.
Os cheques compensados no sétimo mês deste ano totalizaram 118,50 milhões e os devolvidos foram 2,36 milhões no mês. Em julho de 2007, houve um total de 131,68 milhões de cheques compensados e de 2,52 milhões de cheques devolvidos por falta de fundos, no país.

Variação mensal

Na variação mensal (julho de 2008 sobre junho de 2008) a alta na quantidade de cheques sem fundos a cada mil compensados foi de 7,6%. Em junho de 2008, foram registrados 18,5 cheques devolvidos a cada mil compensados. No mês, os cheques compensados totalizaram 114,78 milhões e os devolvidos, 2,13 milhões.
A queda na inadimplência com cheques na relação entre os acumulados 2008/2007 vem perdendo fôlego nos últimos meses. A relação atual, no período de janeiro a julho 2008/2007, apresentou queda de 1%. Na comparação anterior, janeiro a junho 2008/2007 o recuo foi de 2%.

Cheques sem fundo

Quando analisada a comparação julho de 2008 com igual mês de 2007, houve elevação (4,2%) na inadimplência com cheques sem fundos, o que não ocorria desde abril deste ano, sempre em relação a igual período de 2007.
Os técnicos da Serasa afirmam que a inflação, o aumento dos juros, o maior endividamento do consumidor e as despesas de férias estão pressionado a inadimplência com cheques neste momento. Porém, ainda não é possível afirmar uma tendência em relação ao aumento da inadimplência com cheques neste 2º semestre.
O crescimento da inadimplência com cheques de 7,6%, na relação julho/junho 2008, deveu-se ao maior número de dias úteis no sétimo mês do ano e aos gastos maiores nas férias.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email