Inadimplência chega ao maior nível desde outubro de 2000

A inadimplência subiu pelo quinto mês consecutivo em abril e chegou a 5,2% dos empréstimos do sistema bancário, segundo levantamento feito pelo Banco Central. É a taxa mais alta desde outubro de 2000 (5,3%).
O aumento foi puxado pela inadimplência das empresas, que passou de 2,6% para 2,9% entre março e abril.
Houve alta em todas as modalidades, com destaque para o desconto de promissória (de 3,3% para 4,3%).
Para as pessoas físicas, a inadimplência caiu pela primeira vez depois de seis meses seguidos de alta e passou de 8,4% para 8,2% no mês passado, segundo dados do Banco Central.
Apesar da queda geral, houve alta na inadimplência no crédito pessoal (de 5,8% para 5,9%), na aquisição de veículos (de 5,0% para 5,2%) e na aquisição de bens (de 14,2% para 14,9%).

Cheque especial

Para o consumidor, os juros recuaram mais, de 50,1% para 48,8% ao ano, melhor resultado desde maio (47,4%). Para as empresas, os juros caíram de 28,9% para 28,8% ao ano (menor desde setembro).
Houve queda nos juros ao consumidor em praticamente todas as modalidades verificadas pelo Banco Central.
A taxa do crédito pessoal caiu de 50,8% para 48,8% ao ano. No cheque especial, caiu 169,1% ao ano para 166,3% no mês passado.
Na aquisição de veículos, no entanto, a taxa passou de 29,7% para 29,9% ao ano.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email