Importações e exportações batem recorde em fevereiro

O desempenho médio diário das exportações e importações do Amazonas registrado no mês passado foi recorde para meses de fevereiro, segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)

O desempenho médio diário das exportações e importações do Amazonas registrado no mês passado foi recorde para meses de fevereiro, segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). As exportações do Estado somaram US$ 12.19 bilhões, com média diária de US$ 677.6 milhões.
Em relação a fevereiro do ano passado, cresceram os embarques de produtos semimanufaturados (37,7%), básicos (36,3%) e manufaturados (14,9%). Desse universo percentual de manufaturados, as indústrias locais participaram com 5,6% de produtos tipo exportação. Japão (US$ 4.34 milhões), EUA (US$ 3.37 milhões), Países Baixos (US$ 3.02 milhões), Finlândia (US$ 2.11 milhões) e Coréia (US$ 1.31 milhões) mantiveram-se como os principais destinos dos produtos ‘made in Amazonas’.
Na mesma comparação, as importações totalizaram US$ 11.80 bilhões (média diária de US$ 655.7 milhões), com aumentos registrados nas aquisições de combustíveis e lubrificantes (92,8%), bens de consumo (54,3%), matérias-primas e intermediários (50,3%) e bens de capital (30,7%).

Base de comparação

De acordo com o Mdic, as exportações e as importações tiveram resultados superiores aos registrados, não só em 2009, mas também em anos anteriores. Segundo o secretário de comércio exterior, Welber Barral, a base de comparação do ano passado é baixa, por conta da crise econômica mundial, o que eleva ainda mais os resultados observados neste ano. “Ainda sim, exportações e importações apresentaram variação de crescimento positiva em relação a 2008, por exemplo, que foi um ano excepcional. As vendas para o exterior cresceram 27,2% sobre a média diária registrada em 2009, enquanto as importações fecharam em 50,8% na mesma comparação”, revelou.
Por fator agregado, Barral destacou, em nota enviada pela assessoria de imprensa ao Jornal do Commercio, que o desempenho das exportações de produtos semimanufaturados cresceu ao longo do segundo mês 37,7% em relação a janeiro deste ano e 16,2% na comparação com fevereiro do ano passado. De acordo com a nota assinada pelo secretário, as exportações de produtos básicos cresceram 36,3% na comparação com janeiro e 29,7% sobre fevereiro do ano passado. Já as vendas de manufaturados aumentaram 14,9% e 13,7%, respectivamente.
Na análise do professor doutor em economia industrial Álvaro Smont, o aumento das vendas para o estrangeiro ainda é baixo, reflexo da redução de crédito nos países europeus e asiáticos. “Já existe um otimismo que aos poucos retorna, mas esse fluxo de vendas só vai melhorar na segunda metade deste ano. Esses números indicam que a competição internacional está mais acirrada, mas o Estado tem conseguido recuperar alguns mercados, como é o caso de Argentina e Venezuela”, ressaltou.
Em relação às importações, o Mdic avaliou uma tendência de crescimento nas aquisições brasileiras, principalmente, de bens de capital e matérias-primas. “Essa importação de matérias-primas é bastante substancial e reflete a recuperação da indústria brasileira. As importações no país estão interligadas às exportações. Enquanto aumentar as exportações, também vão aumentar as importações”, finalizou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email