23 de maio de 2022

Estamos caminhando para o início de um novo ano, onde as expectativas afiguram-se-nos indecifráveis; não em razão do cenário econômico, mas muito mais devido ao comportamento invasivo do legislativo e do STF; o qual se afastara de seu dever maior: fazer cumprir a Constituição Federal e não rasgá-la; além de pregar pela ordem e a manutenção do Estado Democrático de Direito.

Nada fizeram de produtivo muitos dos Ministros; os quais agiram na contramão do progresso e das necessidades do povo; levando-nos a crer que também integram o clube do “quanto pior, melhor”; onde o cinismo e o autoritarismo se fizeram presentes, como nos casos de prisões arbitrárias, onde sequer haviam inquéritos abertos. Enterraram as garantias fundamentais e eliminaram a liberdade de expressão.

E, não podemos deixar de registrar a péssima intervenção desde o advento da pandemia, quando alguns usando o poder da caneta cercearam o governo federal; impedindo-o de agir; ferindo a democracia, numa atitude, “manu militare” de consequências funestas até hoje. E quando ao sentirem o mal causado ao povo tentam cinicamente com o apoio de uma mídia inescrupulosa ignorar a culpa de governadores pelo caos e mortes, não se falando no roubo do dinheiro público ocorrido em vários estados.

Alterar a verdade dos fatos não é só ignorá-la mas ofender um Presidente responsável que agira dentro do que lhe restara. Temos um Presidente que respeita a verdade, é democrata, trabalha para seu povo em benefício da família. Foram longe demais, merecendo o repúdio do povo brasileiro como ocorrera em 7 de  setembro.

Quanto ao legislativo, recente pesquisa reflete bem a opinião do povo onde 45% dos consultados classificam seus integrantes como “péssimo” e 41% como “regular”. Fora o “patamar mais baixo de 2019 para cá”, conforme Gazeta do Povo. Assim, não tivemos um ser humano que tivesse considerado como “boa ou ótima” a atuação de senadores e deputados federais; o que é lamentável; esperando-se  que em outubro de 2022 o eleitor hoje bem mais consciente afaste os péssimos senadores e deputados federais que quase nada produziram em beneficio do povo. Muito pelo contrário.

Acabaram de aprovar o vergonhoso FUNDÃO eleitoral no valor de R$ 4,9 bilhões, subtraído do pagador de impostos, valor que servirá para custear campanhas eleitorais, em mais um ato, no mínimo, imoral. Fazem de tudo em benefício próprio, com o intuito de usar o pobre como meio de se manterem na função. E, quando o Presidente veta algo, estes derrubam o veto, independentemente de infringirem as regras de responsabilidade fiscal e o teto de gastos.

Desconhecem as necessidades da Nação; vivem em outra realidade e ignoram a indignação do povo. O cinismo nunca tivera limites; tanto que também agem como deuses de um templo habitado por eternos pecadores. Por isso, o escritor Elie Wisel já ensinara. “Sempre tome partido. A neutralidade ajuda o opressor, nunca a vítima. O silêncio encoraja o torturador, não o atormentado”. Que o ano de 2022 venha a ser o marco de nossa liberdade. 

A todos os brasileiros desejamos um venturoso 2022 com muita saúde, tolerância, amor, gratidão e FÉ para juntos com nosso povo que ama nossa bandeira podermos assistir o enterro dos ateus travestidos de enganadores e falsos; bem como a vitória dos cristãos e da família. Que o senhor abençoe a todos, dando-nos a força e a lucidez de que necessitamos até porque chegara a hora de um BRASIL honesto e sem corruptos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email