IGP-M tem deflação de 0,68% na primeira prévia de agosto

O IGP-M ( Índice Geral de Preços – Mercado) teve deflação de 0,68% na primeira leitura prévia de agosto, maior que a do mesmo período de julho, quando houve deflação de 0,23%. No ano, o indicador acumula queda de 2,33% e, nos últimos 12 meses, queda de 1,02%. Os dados foram divulgados ontem pela FGV (Fundação Getulio Vargas).
A metodologia aplicada na apuração do IGP-M é a mesma do IGP-10 e do IGP-DI, também apurados pela FGV, com a única diferença de ter um período de coleta diferente. A primeira prévia do IGP-M de agosto compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de julho.
O IPA (Índice de Preços por Atacado) caiu 1,09% na leitura apresentada na terça-feira, contra queda de 0,48% um mês antes. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais passou de 0,34% para queda de 1,02%, com destaque para o subgrupo alimentos processados (de 2,78% para 2,53%).
No estágio dos Bens Intermediários, a taxa de variação passou de uma queda de 1,25% para uma queda ainda menor, de 0,09%, com destaque para o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção (de -5,98% para 3,26%).
O índice de Matérias-Primas Brutas caiu 2,81%, contra queda de 0,35% um mês antes. Os destaques foram os itens: minério de ferro (-2,29% para -20,77%), soja em grão (-1,44% para -5,97%) e aves (1,53% para -5,52%). Já os preços dos itens café em grão (-5,34% para 0,46%), arroz (em casca) (-2,98% para 4,80%) e cana-de-açúcar (-0,92% para 0,45%) aceleraram.
O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) registrou na primeira prévia deste mês ligeira alta de 0,01%, contra alta de 0,12% um mês antes. A principal contribuição veio do grupo Alimentação (0,14% para -0,48%), com destaque para os itens: laticínios (3,30% para 0,01%) e hortaliças e legumes (-3,18% para -4,87%).
Também desaceleraram (ou caíram) os preços nos grupos: Saúde e Cuidados Pessoais (0,20% para -0,04%), Vestuário (0,66% para 0,19%) e Despesas Diversas (0,13% para -0,08%), com destaque para: medicamentos em geral (0,24% para -0,73%), roupas (1,20% para -0,10%) e alimento para animais domésticos (1,53% para 0,40%).
Já os grupos Habitação (0,12% para 0,31%), Transportes (-0,07% para 0,34%) e Educação, Leitura e Recreação (-0,10% para 0,13%) tiveram alta, com destaque para os itens: tarifa de eletricidade residencial (-0,57% para 2,07%), álcool combustível (-3,08% para 4,93%) e passagem aérea (-0,26% para 2,78%).
O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) teve alta de 0,30% na primeira leitura deste mês, contra alta de 0,49% um mês antes. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços subiu 0,02%, abaixo do 0,17% na primeira prévia de julho. O índice que representa o custo da Mão-de-Obra subiu 0,60%, contra 0,83% um mês antes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email