7 de dezembro de 2021

IGP-M acelera e fecha o ano em 7,82%

O IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado), usado como referência na maioria dos contratos de aluguel, acelerou em dezembro para 0,68%, ante variação de -0,03% em novembro, segundo a FGV

O IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado), usado como referência na maioria dos contratos de aluguel, acelerou em dezembro para 0,68%, ante variação de -0,03% em novembro, segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas).
Com o resultado do mês, o índice fecha o ano em 7,82%, acima do registrado em 2011, quando a variação foi de 5,10%.
Após mostrarem deflação, os preços no atacado voltaram a subir neste final de ano. O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que responde por 60% do índice geral, teve alta de 0,73% neste mês. Em novembro, houve queda de 0,19%.
A alta foi puxada sobretudo pelos produtos agropecuários, cujos preços subiram 1,40%, enquanto os produtos industriais avançaram 0,46%.
Dentro do IPA, as maiores influências foram aves (de 2,30% em novembro para 8,91% em dezembro), milho em grão (de 4,11% para 5,90%), feijão em grão (de -4,09% para 9,42%) e aves abatidas e frigorificadas (de -2,64% para 5,28%). Soja em grão desacelerou a deflação, de -3,50% para -1,65% no período.

Varejo

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor), com peso de 30% no IGP-M, também avançou 0,73%, ante variação de 0,33% no mês anterior.
A principal contribuição partiu do grupo alimentação (de 0,08% para 1,29%). Nessa classe de despesa, a FGV destacou o comportamento das hortaliças e legumes (-11,98% para 1,85%) e carnes bovinas (-1,06% para 1,63%).
Também subiram as taxas de variação dos grupos educação, leitura e recreação (0,50% para 1,04%), habitação (0,47% para 0,63%), despesas diversas (0,20% para 1,11%), vestuário (0,77% para 0,90%) e transportes (0,25% para 0,27%).
Nessas classes de despesa, destacaram-se passagens aéreas (3,59% para 22,97%), tarifa de eletricidade residencial (0,97% para 1,68%), cigarros (zero para 2,78%), roupas (0,67% para 1,16%) e tarifa de táxi (zero para 5,51%), respectivamente.
Já o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), com peso de 10% no índice geral, registrou elevação de 0,29%, após um avanço de 0,23% em novembro.
O IGP-M calcula as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. Além dos contratos de aluguel, o índice também é usado como referência para os contratos de energia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email