IGP-10 registra deflação de 0,60% em agosto, diz FGV

O IGP-10 (Índice Geral de Preços – 10) registrou deflação de 0,60% em agosto, maior que a vista em julho, de 0,35%. No ano, o índice acumula queda de 2,13% e, nos últimos 12 meses, a queda acumulada é de 1,04%. Os dados foram divulgados hoje pela FGV (Fundação Getulio Vargas).
A metodologia aplicada na apuração do IGP-10 é a mesma do IGP-M e do IGP-DI, também apurados pela FGV, com a única diferença de ter um período de coleta diferente. O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.
O IPA (Índice de Preços por Atacado) caiu 1,04% em agosto, maior que a queda de 0,68% vista em julho. O índice de Bens Finais registraram queda 0,77%, em agosto, contra queda menor, de 0,17%, em julho. Contribuiu para esse resultado a queda nos preços do subgrupo alimentos processados (de 0,82% para -1,70%). Excluídos os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, o indicador mostrou queda de 0,77%, contra alta de 0,34% um mês antes.
O índice do grupo Bens Intermediários registrou ligeira variação negativa de 0,05%, um avanço em relação ao visto há um mês, quando houve queda de 1,19%. O destaque foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção (de -4,63% para 1,04%). Excluído esse subgrupo, o índice registrou variação queda de 0,19%, contra uma queda maior, de 0,73%, há um mês.
O índice de Matérias-Primas Brutas passou de umaw queda de 0,54% em julho, para queda de 3,03% neste mês, com destaque para as desacelerações dos itens soja em grão (de -1,21% para -5,92%), suínos (de 11,30% para -11,49%) e aves (de 2,29% para -3,71%). Já os itens arroz em casca (-2,85% para 5,26%), cana-de-açúcar (-1,76% para -0,09%) e café em grão (-4,24% para -0,79%) aceleraram.
O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) subiu 0,26% em agosto, contra 0,21%, em julho. Os destaques vieram dos grupos Habitação (0,24% para 0,66%) e Transportes (-0,08% para 0,31%), em particular nos itens tarifa de eletricidade residencial (-0,21% para 3,60%), e na segunda, álcool combustível (-2,74% para 4,58%).
Também aceleraram os preços nos grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,21% para 0,29%) e Educação, Leitura e Recreação (-0,02% para 0,03%), com destaque para os itens artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,33% para 0,59%) e cursos formais (0,08% para 0,16%).
Já os preços nos grupos Alimentação (0,35% para -0,02%), Vestuário (0,43% para -0,05%) e Despesas Diversas (0,09% para -0,01%) caíram, com destaque para o declínio nos itens laticínios (5,44% para 0,63%), roupas (0,60% para -0,11%) e cerveja (0,12% para -1,36%).
O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) registrou em agosto alta de 0,22%, abaixo do 0,48% no mês anterior. Apresentaram desaceleração os grupos Mão-de-Obra (de 1,08% para 0,53%) e Materiais e Equipamentos (de -0,14% para -0,18%). Já o índice relativo a Serviços subiu de 0,28% para 0,40%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email